Resenhas

Slow Skies – Close EP

Karen Sheridan e Conal Herron transformam seu novo EP em um apanhado intimista e quase confessional, sublimado pelo beleza do Folk

 1,717 total views

Ano: 2013
Selo: Independente
# Faixas: 4
Estilos: Folk, Indie Rock
Duração: 16:57
Nota: 3.5
SoundCloud: /tracks/83354474

Em quase 17 minutos, a dupla irlandesa Slow Skies alcança um resultado consistente, prosseguindo no caminho que já mostrava em seus singles e EPs lançados antes desta obra. Suas quatro faixas, ao mesmo em que não se distanciam muito do que Karen Sheridan e seu companheiro Conal Herron apresentaram anteriormente, se mostram, de certa forma, com mais personalidade.

Mais vez se pautando pelo Indie Folk, a dupla constrói em Close um apanhado de belas canções intimistas e confessionais, comparáveis a nomes como Daughter, The xx e Julia Stone. Seus arranjos delicados, porém intensos criam uma sensação dolorosa e aconchegante, ambas ao mesmo tempo.

On The Shore, single divulgado pouco tempo antes do EP, é escalado para abrir a obra e faz isso criando, logo de cara, um de seus momentos mais memoráveis. A doce de voz de Karen conduz a faixa que se divide em momentos mais próximos do Folk de Julia Stone (como se isso não bastasse o timbre das cantoras são bem semelhantes) e outros no de Daughter (construindo aos poucos o clímax da canção).

Já em Wounds, o Folk assume formas mais robustas, ainda que com muita delicadeza. Violão e voz conduzem uma faixa, acrescida ainda de violino e piano, construindo uma bela e triste balada. Nela, a interpretação de Karen traz certa sensação atmosférica, como se estivéssemos submersos nas mágoas da cantora. Na mesma medida, Ties vem na sequência, mostrando mais uma vez o poder do vocal da moça e essa qualidade hipnótica de sua música. Apesar de seguirem estruturas semelhantes, as duas faixas conseguem encantar o ouvinte, cada uma a sua maneira.

A faixa-título fecha a pequena compilação, mostrando o poder dessa mistura Folk criada pelo duo. Mais uma vez mostrando esse delicado misto entre uma suave percussão, voz aconchegante e melodias gostosas, a música mostra que doçura e sofrimento podem andar de mãos dadas e, mais do que isso, formam um bom par quando musicadas. O resultado é uma obra incrivelmente bela, intimista e cheia de pessoalidade, em que Karen parece estar próxima a você contando suas histórias e aprendizados do passado.

 1,718 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Julia Stone, 2Cellos, Daughter, The xx
ARTISTA: Slow Skies
MARCADORES: 8-Bit, Folk, Indie Fok

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts