Resenhas

Teen Daze – Themes For Dying Earth

Disco de produtor canadense é o mais sensível de sua obra até então

 1,693 total views

Ano: 2017
Selo: Flora
# Faixas: 10
Estilos: Chillwave, Ambient Music, Dream Pop
Duração: 41:00
Nota: 4.0
Produção: Jon Anderson

Embora o universo da Chillwave seja quase sempre resumido à importância dos discos de Toro Y Moi e Washed Out, deve-se tomar cuidado para não ignorar a fantástica obra do canadense Jamison Isaak. Conhecido por liderar o projeto Teen Daze, o jovem é responsável por excelentes discos repletos de boas composições que trouxeram cada qual uma singularidade complexa, como se fossem pequenos mundos. Meticuloso e detalhista em suas músicas, Jamison passou por crises de ansiedades intensas durante sua última turnê, às vezes evitando qualquer contato com membros de sua banda para passar por estes momentos sozinho. Essa experiência transformou bastante o músico, sendo um momento decisivo em sua vida e que serviu de base para a construção da edição mais sensível de sua discografia.

Themes For Dying Earth é a respiração mais profunda de Jamison já deu. De volta para o terreno familiar da Chillwave/Ambient Music, o músico usou sua hábil e cuidadosa prática de criar mundos a seu favor. Desta vez, os pequenos universos que o jovem canadense costumava criar são, agora, facetas diversas de uma introspecção profunda gerada por sucessivos dilúvios de pensamentos que levaram estes questionamentos a um novo patamar. A exploração de timbres suaves e pads hipnóticos tem como função a autocompreensão de sua mente e uma expressão que tente abordar o máximo possível de todo que se passou pela sua cabeça. Desta vez, nós somos apenas espectadores deste processo íntimo e investigativo de Jamison e tudo que podemos fazer é apreciar este belo momento, que raramente é retratado com tanta sensibilidade e sinceridade.

Cycle inicia o disco entre vozes dissonantes e confusas, que logo dão espaço a uma batida constante que organiza este fluxo interminável e caótico de memórias. Dream City se comporta tal qual um sonho, na qual os timbres hipnóticos de sintetizadores nos trazem diferentes tipos de imagens, mesmo que nunca tenhamos as presenciado na vida real. Lost e Rising, com um apelo mais Dream Pop, traz à tona a beleza de se perder por aí, com muitos reverbs e arranjos vocais típicos da New Age. First Rain é uma parceria fantástica e bela com o músico S. Carey, onde violões e sonoplastias de chuva criam um momento tocante e aconchegante do disco. Water In Heaven, a faixa mais longa do registro, não tem pressa em construir, camada por camada, um universo de intensa introspecção quase como se fosse um momento de meditação que só cessa no final do disco com Breathe, uma série de acordes profundos no sintetizador que simulam esta respiração.

Teen Daze torna sua aflição matéria prima para seu disco mais maduro até então. É quase como um estudo das diferentes construções da mente, principalmente de uma mente ansiosa onde os pensamentos são constantes e parecem não ter mais fim. Uma sensível e densa aventura pela mente humana, com um toque saudável de emoção e epifânia.

(Themes For Dying Earth em uma faixa: First Rain)

 1,694 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Bibio, Brian Eno, Washed Out
ARTISTA: Teen Daze

Autor:

Designer frustrado, julgador de capas de discos e odiador daqueles que põem o feijão antes do arroz.