Terrace Martin Presents The Pollyseeds – Sounds Of Crenshaw Vol. 1

Produtor reúne supergrupo em álbum comunitário

813 total views, 3 views today

Ano: 2017
Selo: Ropeadope
# Faixas: 13
Estilos: Jazz, Smooth Jazz, R&B
Duração: 53
Nota: 3.0
Produção: Terrace Martin, Robert Glasper

Você já deve ter ouvido o nome de Terrace Martin por aí, uma vez que o produtor já trabalhou com nomes do quilate de Snoop Dogg, Stevie Wonder e Herbie Hancock, além de ter produzido um dos álbuns de Rap mais importantes do lado de cá do milênio: To Pimp a Butterfly, de Kendrick Lamar.

Martin, que além de produtor é cantor, rapper, compositor e instrumentista, evidentemente já se aventurou nos territórios da carreira solo. Seu último trabalho é Velvet Portraits, de 2016. Para o trabalho da vez, o artista resolveu tentar uma abordagem diferente, reunindo um time de peso entre os colaboradores, transformando este em um disco feito por várias mãos. Esta empreitada resultou no projeto Terrance Martin Presents The Pollyseeds, e, consequentemente no álbum Sounds Of Crenshaw Vol. 1.

Falar do artista, como você deve ter percebido, é elencar nomes, referências e estilos. Crenshaw é um bairro de Los Angeles onde Martin cresceu, e, afinal, tal título vem a propósito de um álbum que fala do um senso de comunidade. O trabalho opera nesta zona democrática de conjugação de diferentes personalidades, embora sempre em nome do amor. É uma abordagem hipponga, mas muito bem vinda em tempos sombrios.

Sounds Of Crenshaw Vol. 1 flui aeradamente pelo território do Smooth Jazz, trazendo nuances de R&B, Hip Hop e até de Pop Tropical, meandros de um mesmo universo trazidos pelos colaboradores Robert Glasper (talvez o maior mentor de Martin), Kamasi Washington, Rose Gold, entre outros. É uma música morna, ou seja, feita por excelente bom gosto e técnica complexa, feita para tocar acessivelmente em qualquer ouvido: algo como a comunhão traduzida em massa sonora.

(Sounds Of Crenshaw Vol. 1 em uma música: Funny How Time Flies)

814 total views, 4 views today

Autor:

Discreto e silencioso. Falo pouco, ouço bem, porém.