Resenhas

The Big Pink – Future This

O Shoegaze tão presente no debut quase não dá as caras por aqui, dando lugar às batidas acentuadas e refrões Pop de alta qualidade que nos explicam por que a banda foi a queridinha da mídia inglesa em 2009

1,180 total views, no views today

Ano: 2012
Selo: 4AD
# Faixas: 10
Estilos: Electro-rock, Indie Pop
Duração: 44:25
Nota: 3.5

Se lembra lá em 2009, quando o The Big Pink virou queridinho da NME e de vários outros blogs Indies? Com certeza, o debut do duo foi incrível e virou uma das grandes hypes daquele ano. Em 2011, com o lançamento de Future This, a banda passa pelo grande desafio do segundo álbum.

Se mostrando mais restrito na abrangência de estilos que seu antecessor, ele inova pouco e segue à risca o um modelo mais Pop. O disco enfrenta uma grande resistência dos críticos e de alguns fãs mais xiitas que não curtiram esse apelo, mas foi bem recebido pelo público que nunca teve contato com a banda.

O grande responsável por essa grande mudança no som do duo britânico foi o produtor e hitmaker Paul Epworth (o mesmo que produziu a Adele). O disco contém pequenos traços do Shoegaze dos anos 80, o que era uma marca registrada da banda, com batidas mais acentuadas e refrãos bem ao estilo pop.

Mais acessível que A Brief History Of Love (2009), esse novo trabalho da banda se mostra muito colorido, alegre, apresentando uma nova vertente e de certa forma explorando novos caminhos. Pegar os elementos que mais deram certo no trabalho de estreia foi a estratégia escolhida por Epworth.

O nome Future This é tirado de um comercial de skate dos anos 80, mostrando a vertente saudosista da banda e principalmente de onde o duo empresta sua sonoridade. Seu Synthpop carregado de guitarras distorcidas faz lembrar o som Jesus and Mary Chain, mesmo não contendo mais os elementos fundamentais do Shoegaze.

O postulante a Dominos dessa vez leva o mesmo nome do álbum. Future This segue o mesmo estilo do grande hit que os consagrou, com seus refrões pegajosos, melodias bem construídas e o vocal suave e quase falado de Robbie Furze. Rubbernecking e 1313 seguem o mesmo padrão, mostrando mais uma vez a escolha dos britânicos em pegar os elementos de sucesso do debut.

Mesmo sendo conservador, Future This é um álbum arriscado. A escolha de um produtor de hits mudou muita coisa do som que eles vinham fazendo, contendo poucos resquícios do Shoegaze e indo para o lado mais pop. Mesmo não sendo um disco tão arrebatador quanto o primeiro, não deixa de ser um bom álbum.

1,181 total views, 1 views today

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts