Resenhas

The Preatures – Blue Planet Eyes

Grupo australiano prova seu potencial de criar hits irresistíveis

 2,197 total views

Ano: 2014
Selo: Universal Music
# Faixas: 10
Estilos: Indie Pop, Power Pop, Soft Rock
Duração: 34:35
Nota: 3.5
SoundCloud: /tracks/164949815

The Preatures tem algo diferente. Não é uma banda inovadora, nada que não te lembre alguma outra coisa, mas tem alguma coisa ali, pode crer, algo superior às outras bandas que não tem medo de fazer um som Pop de (muito) respeito por aí. E tem Isabella Manfredi, que mostra de uma vez em Blue Planet Eyes seu carisma daquela menina de duas séries a frente da sua na escola que todos (cada um em seu caso) queriam ou ter, ou ser.

O disco reúne em dez faixas (entre velhas conhecidas e ótimas novidades) o potencial de Rock à moda antiga (década de 1980 já é vintage?) do grupo australiano. Tem efeitinhos legais e na medida certa nas guitarras e sintetizadores, uma Psicodelia aqui e ali que deixa tudo melhor ainda e um Rock’n’Roll que, se alguém não gostar, bom sujeito não pode ser.

A faixa-título abre o disco fazendo uma introdução bacana que incentiva o ouvinte a prosseguir pelas próximas músicas, a começar pela já lançada Somebody’s Talking, que revela melhor o clima mais cheio de energia da obra. A imbatível Is This How You Feel? vem na sequência e nos apresenta a Ordinary, a primeira amostra de porencial de hit que o álbum traz e forte candidata a um dos melhores momentos do show. A balada (também já mostrada antes) Two Tone Melody encerra o lado-A fazendo um contraponto bem vindo a toda a festa.

Mas é na segunda metade que as coisas ficam ainda melhores. Rock and Roll Rave marca o ouvinte já na primeira audição com sua tensão construída no baixo e um delicioso clima funkeado (como o que The Preatures já tinha mostrado em Maniac Baby). Whatever You Want não impressiona, mas não incomoda, e Cruel é a banda em sua melhor forma Pop. Better Than It Ever Could Be foi rebatizada como It Gets Better e ganhou nova mixagem e uma cara um pouco mais discreta, mas ainda muito simpática. Pra fechar a segunda metade, mais uma balada: Business, Yeah, naquele clima FM romântico que conhecemos tão bem.

Blue Planet Eyes passa rápido, em menos de 35 minutos, mas sabe marcar sua presença. O álbum vem tanto para comprovar o potencial de Isabella e companhia, quanto para nos seduzir a acompanhá-los por ainda muito tempo.

 2,198 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Fleetwood Mac, Haim, Camera Obscura
ARTISTA: The Preatures

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.