Resenhas

The Walkmen – Heaven

Um espírito suave e temáticas mais brandas que em seus antigos lançamentos marcam o sétimo álbum da banda, que cria um disco muito agradável

 2,430 total views

Ano: 2012
Selo: Fat Possum
# Faixas: 13
Estilos: Indie, Indie Rock, Post-Punk
Duração: 38:45
Nota: 3.5
Produção: Phil Ek
Livraria Cultura: 30046294

Heaven, sétimo álbum dos nova-iorquinos da The Walkmen, chega com uma maturidade maior em relação aos discos anteriores. Com melodias mais encorpadas e que fogem um pouco do estilo oitentista e Indie Rock, perceptíveis nos trabalhos antigos da banda, como nas músicas The Rat e In The New Year, as faixas deste novo trabalho soam oscilantes, porém com um pé nos anos 70.

O álbum, como um todo, possui um espírito mais suave e com temáticas mais brandas, como vemos nos seguintes versos da faixa de abertura, We Can’t Be Beat: “Oh, loneliness, loneliness will run you through, oh/ All the kids are laughing, I’m laughing too”.

A sensação de se enxergar retratos de família ao se ouvir o disco é algo que incrivelmente ocorre. Heaven parece ter sido feito como uma mensagem a todos, e a evidência disso fica nos versos iniciais da música título do álbum: “Our children will always hear/the romantic tale of distant years/Our guilty age may come and go, (…) Remember, remember/All we fight for/Remember, remember/ All we fight for.”

O espírito geral do disco pode ser descrito em um minuto e meio. É esse o tempo de Jerry Jr.’s Tune, nona faixa do álbum, com cantarolares brandos em uma curta música instrumental, e sua mensagem traduz Heaven muito bem: suave, calmo, e agradável. Um disco com cara de manhã ensolarada de domingo, prazeroso de se ouvir e que cai bem aos ouvidos e te faz não querer pular uma faixa sequer.

 2,431 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Spoon, Lower Dens, Interpol
ARTISTA: The Walkmen
MARCADORES: Indie, Indie Rock, Post-Punk

Autor:

Marketeiro, baixista, e sempre ouvindo música. Precisa comer toneladas de arroz com feijão para chegar a ser um Thunderbird (mas faz o que pode).