Resenhas

The Weather Station – How Is It That I Should Look at the Stars

Com passo definitivo em direção ao intimismo, Tamara Lindeman desenvolve sons discretos que resultam em uma beleza gritante

 246 total views

Ano: 2022
Selo: Fat Possum Records
# Faixas: 10
Estilos: Rock Alternativo, Indie, Folk
Duração: 32'
Produção: Tamara Lindeman e Jean Martin

Uma obra de sussurros em um mundo tão ruidoso: How Is It That I Should Look at the Stars desenvolve sons discretos que resultam em uma beleza gritante. Com ele, Tamara Lindeman dá um passo definitivo em direção ao intimismo, mesmo já tendo flertado de corpo e alma com essa ideia em seu trabalho anterior, Ignorance (2021).

Feito para ser ouvido com fones de ouvido (e volume mais alto que o de costume), o álbum encanta por suas sutilezas. Em uma audição desatenta (ou sem os fones), fica a impressão de que se trata de um trabalho todo feito em piano e voz. Há, no entanto, vários pequenos adornos que ocupam os espaços entre os versos e dão corpo às canções.

Nelas, Tamara canta baixinho sobre aquilo que já nos mostrou que é mestra em escrever, ou seja, versos cuja beleza está mais no quanto comunicam sentimentos que conhecemos bem do que na lírica em si. E seus significados são desvendados com uma camada de pessoalidade que só a voz sussurrada consegue comunicar, ainda mais com a companhia do piano tão melancólico e o respeito dos outros timbres, que nunca ousam roubar nossa atenção.

Se essas frases podem ser utilizadas para descrever tantas outras obras já lançadas ao longo das décadas, quem escuta How Is It… logo percebe que suas características mais evidentes, por menos originais que sejam, são também as que cativam o ouvinte. Diante de tamanha carga pessoal em todas as faixas, a obra coloca o ouvinte ora como confidente, ora como voyeur.

A voz de Tamara aparece aqui com pouca força e até pouco ar, mas com carga interpretativa de sobra para estabelecer seu lugar ao lado de nomes como Joni Mitchell e Cat Power – comparações que poucos artistas são dignos de receber. Junto da beleza das composições e do intimismo proposto, é um álbum que nos convida a adentrar o coração da artista e encontrar refúgio em sua companhia.

(How Is It That I Should Look at the Stars em uma faixa: “Loving You”)

 247 total views

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.