Resenhas

Tinashe – Aquarius

Obra de estreia da cantora norte-americana mostra muito mais do que suas mixtapes

3,781 total views, no views today

Ano: 2014
Selo: RCA Records Label
# Faixas: 18
Estilos: R&B, Alt R&B, Hip Hop
Duração: 55:36
Nota: 3.5
Produção: DJ Mustard, Mike Will Made It, Boi-1da,Dev Hynes, Detail, Jasper Cameron, Stuart Matthewman, Stargate, Cashmere Cat

Mesmo que acusem-na de surfar no hype de outras tantas cantoras do chamado novo R&B (ou qualquer seja o novo nome que inventaram pro estilo), Tinashe aparece dentro dessa cena já a algum tempo, sempre como um nome relevante e que vem ganhando força dentro dele cada vez mais. Através de mixtapes (incluindo a tão elogiada Black Water) e alguns singles, a moça vem escalando na preferência do público e conquistando cada mais adéptos ao seu som envolvente, sedutor e muito atmosférico.

Aquarius é o nome que recebe seu primeiro álbum e, apesar de ser nomeado com o décimo primeiro signo do zodíaco, é impossível não associá-lo com imagens aquáticas (também sugeridas pela tom azul da capa do disco). Plácido e sinestésico, o álbum parece envolver e confortar o ouvinte através de 18 músicas quase sempre serenas e sensuais, que podem em diversos momentos lembrar obras de Janet Jackson e Aaliyah.

O disco consegue soar incrivelmente coeso e bem estruturado mesmo com tantas faixas (talvez com um número um pouco exagerado demais) e com tantos produtores diferentes (DJ Mustard, Mike Will Made It, Boi-1da, Dev Hynes, Detail, Jasper Cameron, Stuart Matthewman, Stargate e Cashmere Cat, só para citar alguns). E o que poderia ser um problema acaba favorecendo a mobilidade do álbum entre diferentes estilos (buscando inspiração no Hip Hop e em tendências da Música Eletrônica e Pop), gerando a sensação de se estar mergulhando cada vez mais fundo na obra da moça.

E por falar em Hip Hop, Tinashe traz à sua primeira obra alguns bons rappers. Scholboy Q aparece no single minimalista 2 On, produzido por DJ Mustard, músico que está em alta agora com seu estilo “econômico” de criar beats. Future aparece em How Many Times e A$AP Rocky em Pretend (faixa que mostra um lado bem mais dócil do rapper novaiorquino). Até mesmo All Hands On Deck segue esse clima, mesmo sem ter um convidado para assumir as rimas. A parte Pop do álbum aparece em faixa mais radiofônicas, como Far Side Of The Moon ou Feels Like Vegas (que poderia facilmente ser confundida com alguma faixa de Rihanna).

Aquarius torna-se um bom começo para a artista ganhar ainda mais notoriedade e conseguir mostrar lados que as mixtapes não a possibilitavam. Tinashe tem um bom disco nas mãos e uma mistura Pop feita na medida para atrair váriados gostos músicais, seja o público mais alternativo ou quem só ouve o que toca na rádio.

3,782 total views, no views today

BOM PARA QUEM OUVE: Jhene Aiko, Kelela, BANKS
ARTISTA: Tinashe
MARCADORES: Alt-R&B, Hip Hop, R&B

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts