Resenhas

Title Fight – Hyperview

Banda arrisca novas sonoridades e as alia com gêneros famosos de seu passado

 2,496 total views

Ano: 2015
Selo: Anti
# Faixas: 10
Estilos: Shoegaze, Alternative Rock
Duração: 31:47
Nota: 3.5
Produção: Will Yip
Itunes: https://itunes.apple.com/us/album/hyperview/id941861818?uo=4

Title Fight viveu sua vida em uma eterna adolescência. Seus primeiros discos eram dotados de uma nostalgia plena na qual o Pop Punk era o gênero que mais se evidenciava. Responsável pelo lançamento de Floral Green, uma obra representativa de uma nova geração de jovens que mantinha-se entre o Hardcore e o Punk, o grupo americano se encontrava numa posição interessante quando o novo disco foi anunciado: permanecer jovem para sempre ou amadurecer, explorando novas sonoridade e características. Pois bem, após alguns anos na Terra Do Nunca, a banda finalmente deu alguns passos adiante e mostrar que Hyperview mostra, não só um novo som, mas um nova personalidade como um todo.

Terceiro disco da banda, vemos aqui uma nova textura se aproximar: o Shoegaze. Mas como nem toda mudança é tão abrupta, vemos uma nova espécie deste gênero musical, com reverbs um pouco mais claros e uma influência marcante de Dream Pop. Murder Your Memory abre o disco de um modo bem menos explosivo e mais ambientalizador, mostrando o novo mundo de Title Fight. Este mundo dá preferência a guitarras claras, menos power chords, mais acordes abertos e certo pessimismo por parte da interpretação vocal. De fato, uma faceta bem mais fúnebre, mas com uma coesão maior e uma ótima produção por parte de Will Yip.

Como dito, as mudanças na sonoridade de Title Fight vão a passos lentos e portanto se desvencilhar do seu passado é uma tarefa árdua. Portanto, Hyperview mostra uma nova relação com o Pop Punk ativo do começo de sua carreira. Temos uma juventude disfarçada, mas ainda presente. É uma espécie de nova visão sobre os anos 90: seus sons não chegam a categorizar a banda como “Nostalgia 90’s”, mas pincelam a mente do ouvinte com algumas referências, principalmente no que diz respeito ao campo instrumental. Liar’s Love coloca uma melancolia ímpar em evidência, Mrahc mistura uma melodia suave com um Punk comportado e Dizzy embala corações em uma espécie de balada depressiva da respectiva década.

Title Fight produz um novo esforço que deve ser extremamente levado em conta. Uma espécie de crônica moderna acerca do amadurecimento da juventude para a idade adulta, porém não esquecendo do passado nunca. Como o nome do disco sugere, a banda faz uma hipervista ou uma análise mais profunda de seu passado para que posso seguir em frente.

Uma nova era na sonoridade da banda, que mostra maturidade e desperta muito mais nossa curiosidade.

 2,497 total views

BOM PARA QUEM OUVE: My Bloody Valentine, Yuck
ARTISTA: Title Fight

Autor:

Designer frustrado, julgador de capas de discos e odiador daqueles que põem o feijão antes do arroz.