Resenhas

Tom Misch & Yussef Days – What Kinda Music

Dupla combina a musicalidade efervescente do Jazz às simplicidades do Indie e o resultado é dinâmico e envolvente

430 total views, no views today

Ano: 2020
Selo: Beyond the Groove, Blue Note Records/Caroline
# Faixas: 12
Estilos: Jazz, Neo Soul R&B
Duração: 45'
Produção: Tom Misch, Yussef Dayes, Miles James

Venha com sede a esse pote: What Kinda Music satisfaz qualquer expectativa que podemos ter a respeito de uma reunião entre o guitarrista Tom Misch e o baterista Yussef Dayes. Ao longo de 45 minutos, os dois guiam o ouvinte por faixas que dialogam com as vivências que ambos têm no Jazz e, ao mesmo tempo, com vertentes da música popular contemporânea merecidamente celebradas, como o Neo Soul e o R&B.

Há alguns exemplos de artistas que fazem parte desse terreno fértil, que estabelece algo como uma linha porosa com o Indie (na falta de um termo mais cirúrgico). Seja nas aproximações cheias de Soul de BadBadNotGood e Anderson .Paak, nas pirações maravilhosas de Flying Lotus, ou na modernidade vintage de Kamasi Washington. São todos “vizinhos” nesse lugar, mas cada um com suas muitas particularidades (e resultantes personalidades). O mesmo acontece com o duo Misch e Dayes, que criou uma obra dinâmica, densa e grandiosa na soma de suas micronarrativas.

Cada uma das doze faixas é um pequeno universo independente que se revela, em média, por uns três minutos e tanto. Com poucas exceções, elas chegam miúdas e ganham forma e volume à medida que os timbres se apresentam, como uma boa história sendo contada. Mais ainda do que Misch, Dayes se mostra um grande protagonista dessas narrativas, com a percussão roubando a cena ao explicitar a complexidade das músicas e impressionar até mesmo quem não sabe o que “arranjo” significa.

E esse pode ser considerado um dos grandes pontos altos da obra: What Kinda Music possui uma musicalidade sempre intrincada, mas nunca necessariamente “difícil” – o que nem sempre acontece quando o espírito do Jazz sopra. Os dois foram felizes na decisão de utilizar o formato de “canção” propriamente dito em alguns momentos (como “Nightrider”, com Freddie Gibbs), de forma que, até mesmo quando não há letra, o ouvinte se sente à vontade em meio a verdadeiras explosões sonoras (casos de “Lift Off” e “Kyiv”, por exemplo).

São esses grandes momentos que definem a audição de What Kinda Music. Mais do que isso, eles qualificam o que Tom Misch e Yussef Dayes fazem como “Música” de M maiúsculo. Juntos, eles desenvolvem uma verdadeira erudição por meio de sons da música popular, seja você familiarizado ou não com os novos dialetos do Jazz. É um disco, portanto, que pode ser porta de entrada para quem ainda não explorou as terras férteis dessa musicalidade empolgante, envolvente e plenamente deslumbrante.

(What Kinda Music em uma faixa: “Festival”)

431 total views, no views today

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.