Resenhas

Toro y Moi – Underneath the Pine

Chaz e seu experimentalismo Lo-Fi consegue fazer um grande sucessor para seu debut, a Chillwave do primeiro disco ganha novos elementos e novos temas. Tudo isso acompanhado pela voz de Bundwick

1,809 total views, no views today

Ano: 2011
Selo: Carpark Records
# Faixas: 11
Estilos: Chillwave, Lo-fi
Duração: 39:00
Nota: 4.0
Produção: Chazwick Bundick
Livraria Cultura: 17001497

Batidas marcantes dos anos 80, teclados e melodias bem construídas tudo isso no estilo que só a Chillwave consegue nos trazer. Som que beira o experimentalismo, vagando pelo Lo-Fi e com um pézinho no Synthpop: esse é o Toro y Moi.

Underneath the Pine é o segundo disco de Chazwick Bundick, que, desde o verão de 2009, é um dos grandes nomes da Chillwave, despontando com nomes como Neon Indian e Washed Out (que foi um parceiro na turnê de 2010, ainda com o Causers of This).

Percebemos uma grande influência de Animal Collective, Daft Punk e J Dilla, entre outros, que Chaz confirma serem suas grandes inspirações. Outra percepção que temos ouvindo os discos dele é a sua reinvenção a cada novo álbum, sempre trazendo elementos novos, mas sem deixar de lado os antigos.

Underneath the Pine está num clima espacial e com muitas influências da Disco. Deixando um pouco de lado seu clima chill em algumas músicas, esse novo projeto parte também para um lado mais dançante, com referências ao Synthpop em algumas músicas – impossível não sair dançando, como em Still Sound. O disco foi muito bem aceito pela crítica, ganhando o status “Best New Music” da Pitchfork.

Com muitos elementos já esquecidos nos anos 80, Chaz pega emprestado de lá o ritmo das guitarras, o órgão, sintetizadores e os ritmos robóticos e espaciais. Amadurecido nesse segundo disco, ele incorpora as influências do Pop de maneira orgânica, sendo um avanço muito grande de Causers of This.

Intro/Chi Chi abre o álbum de forma estranha, carregada de zunidos e batuques, e abre caminho para um dos grandes destaques, New Beat. Essa ganha toques da Disco e do Soul e mostra o lado dançante de Bundick. Go With You e How I Know trazem melodias incríveis, cheias de sensualidade e marcadas pelo teclado.

Divina resgata um pouco do clima Chillwave (que ficou um pouco fora do pacote em Underneath the Pine), assim como a espectral Light Black. Chegamos então ao ponto alto, Still Sound, com um ritmo dançante e hipnótico que sintetiza essa fase nova do Toro y Moi. Melancólica e quase psicodélica, Good Hold, guiada pelo piano, acrescenta um tom obscuro e soturno. Elise fecha o disco, redondo e sem muitos deslizes, trazendo mais uma vez o próximo passo dos artistas da Chillwave.

Sem saber do contexto, quem ouve percebe um álbum flertando com o pop e muitas vezes dançante, bem diferente do que Bundwick. Mesmo esse sendo somente um resgate de coisas do passado, a inovação esta muito presente, transformando tudo isso em música contemporânea.

1,810 total views, 1 views today

BOM PARA QUEM OUVE: Washed Out, Neon Indian, James Blake
ARTISTA: Toro y Moi
MARCADORES: Chillwave, Lo-Fi

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts