Resenhas

Vitreaux – Dois por Dois

Estreia do trio mistura bom humor e romantismo em arranjos que favorecem seus versos

 2,167 total views

Ano: 2014
Selo: Mono.Tune Records
# Faixas: 5
Estilos: Folk, Folk Rock
Duração: 14:05
Nota: 3.5
Produção: Filipe Consolini

Vou confessar: Toda banda que mostra que tem um cuidado legal com suas letras já ganha uns pontinhos comigo. Na boa, pra mim isso é meio básico se você se propõe a fazer música cantada, mas (desculpe se isso te causa alguma desilusão) meu contato direto com músicos tem me mostrado que a maioria (sim, infelizmente) acaba meio que cantando qualquer coisa que combine com os arranjos que eles passaram tanto tempo pensando e preparando.

Pode ser que eu falando assim você crie uma expectativa de um trabalho altamente poético da Vitreaux em seu EP de estreia, Dois por Dois. Não é exatamente o caso, mas, enquanto uma primeira audição deixa claro o bom humor do trio, um olhar mais atento vai encontrar uma alta dose de romantismo e poesia nas cinco faixas. Acima de tudo, os arranjos do disco estão lá a serviço dos versos, e é isso o que importa.

Daí, quando você ouve Serenata (a faixa de abertura), logo nota que os instrumentos ficam quietinhos na hora da voz entrar, para podermos prestar mais atenção no que é dito. Na canção seguinte, Ossos de Amor (a primeira lançada pelo grupo, há alguns meses), essa mesma dinâmica continua, em uma pegada ainda mais bem humorada, fazendo declarações de amor usando metáforas caninas. Inegavelmente agradável.

A última música da sequência “engraçadinha e fofinha” vem com Romântico em Paris, com inserções em francês (fazendo jus ao nome da banda) em momentos que você facilmente consegue visualizar os casais aproveitando pra dançar de brincadeira durante o show.

É aí que Leve entra em cena. Curtinha, ela é uma introdução a Apenas o que É Seu, uma canção em que o romantismo vira de vez o personagem principal, sem o bom humor como coadjuvante. Bem gostosa de ouvir e cantada com o coração na mão, ela tem um piano que revela melhor a produção de Filipe Consolini no EP. Essa segunda parte dá um equilíbrio interessante e necessário para que a gente não fique com uma imagem apenas cômica do trabalho da banda, e seu lado “coração” não deixa de ser lembrado.

A questão é que Dois por Dois vem como um disco redondinho, que sabe mostrar as qualidades da Vitreaux e nos entretém facilmente em menos de 15 minutos, ainda mais se você curtir uma pegada saudosista no som. Que apareçam mais cancioneiros do Rock por aqui, ficaremos gratos.

 2,168 total views

ARTISTA: Vitreaux
MARCADORES: EP, Folk, Folk Rock

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.