Resenhas

Wavves x Cloud Nothings – No Life For Me

Disco colaborativo chega de surpresa e investe no Lo-fi de alta qualidade

2,788 total views, no views today

Ano: 2015
Selo: Ghost Ramp
# Faixas: 9
Estilos: Noise Pop, Lo-Fi, Indie
Duração: 21:29
Nota: 4.5
Produção: Sweet Valley

Gravações caseiras há tempos vêm alimentando ouvidos independentes e sonhos de ser reconhecido(a) como artista, muito por conta dessa maravilha da acessibilidade propiciada pela Internet. Dessa experiência herdamos duas interessantes bandas dos anos 2000, Cloud Nothings e Wavves, e a boa nova – boa não, excelente – , é que ambas se reuniram para um disco colaborativo.

No Life For Me, do Wavves x Cloud Nothings, é produto do artesanato criativo Lo-Fi de Natham Williams (caravana Wavves) e Dylan Baldi (caravana Cloud Nothings), que se trancafiaram por algumas semanas em Los Angeles, em 2014 e 2015.

A gravação e a produção são de Nathan e seu irmão, Joel Kynan, com quem ele assina o projeto Sweet Valley. Ambos souberam costurar a sonoridade calculadamente poluída do Wavves com a energia típica do Cloud Nothings, sem que o disco corresse o risco de ser interpretado como um split, com músicas reconhecidamente pertencentes a uma banda ou outra.

São nove faixas bastante coerentes em sua proposta de unir talentos, sem muita pretensão ou pré oba-oba. Há grandes músicas, especialmente Nervous, que se sustenta com uma boa introdução e um único refrão, executado em looping com camadas nos arranjos. Come Down e a homônima No Life For Me são cuidadosas em sua tarefa de propor mais peso e velocidade ao disco. Já Nothing Hurts sela o álbum com beleza e dá a medida da relevância do Lo-Fi, honrando e realçando momentos de qualidade instituídos no passado por Daniel Johnston, Beat Happening e Jay Reatard.

Vindo de uma mudança drástica de sonoridade no Cloud Nothings, Dylan Baldi aqui ganha espaço para mostrar suas melodias dietéticas e de refrão cantarolável. A discografia de 2015 ganha um belo exemplar de Noise Pop.

2,789 total views, no views today

BOM PARA QUEM OUVE: No Age, Daniel Johnston, Japandroids
MARCADORES: Indie, Lo-Fi, Noise Pop, Ouça