Resenhas

Wire – Change Becomes Us

Banda veterana lança disco com músicas bem trabalhadas que exploram diversas sonoridades, mas em uma obra cansativa no geral

 2,481 total views

Ano: 2013
Selo: Pink Flag
# Faixas: 13
Estilos: Post-Punk, Post Rock, Rock Alternativo
Duração: 48:45
Nota: 3.0
Produção: Wire
SoundCloud: /tracks/73459513
Itunes: http://clk.tradedoubler.com/click?p=214843&a=2184158&url=https%3A%2F%2Fitunes.apple.com%2Fbr%2Falbum%2Fchange-becomes-us%2F

Wire carrega o título de “uma das bandas mais importantes da Inglaterra” ao passear, desde 1976, por diversos estilos e cenas, assim como pós-estilos e pós-cenas, e ter pelo menos um grande clássico em sua discografia, Pink Flag (1977). Tendo em vista esse panorama tão plural e a vasta experiência dos músicos, fica mais fácil compreender – mas não necessariamente digerir -, Change Becomes Us.

Suas treze faixas vão por caminhos bem diferentes entre si. Elas foram feitas em cima de ideias e composições feitas entre 1979 e 1980 e presentes em shows da banda na época, incluindo algumas já ouvidas antes em Document and Eyewitness, disco ao vivo de 1981.

Envernizadas por uma produção contemporânea, o que elas mais tem em comum é a qualidade em suas construções. Com tanta experiência nas costas, é inegável o quanto os músicos tem o controle da situação em cada uma das faixas e levam o ouvinte para os mais diversos cenários.

Acontece que, por mais que o álbum não seja longo, suas músicas parecem ter personalidade muito forte, uma diferente da outra, e a experiência de ouvi-lo torna-se cansativa, em menor ou maior grau, dependendo do clima em que você estiver.

O que eu quero dizer é que dificilmente será um disco que irá te conquistar, que vai te querer pegá-lo para escutar enquanto faz alguma outra coisa de vez em quando ou algo assim. Não, ele demanda atenção e energia específicas – mais um motivo que faz dele algo cansativo, ainda que bom.

Porém, duas músicas ali se destacam, seja quando ouvidas na sequência do álbum ou isoladamente: Eels Sang (potente nova versão de Eels Sang Lino, de Document and Eyewitness) e As We Go, simpaticíssima. Não me surpreenderia se ambas fossem lançadas como single, já que atrairiam facilmente o público.

Se esta é sua pegada (algo cerebral, que dialogue com vertentes diversas), Change Becomes Us é um prato cheio. Caso contrário, se estiver em um humor mais específico, opte por álbuns com estilos mais específicos.

 2,482 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Gang Of Four, Paul Weller, of Montreal
ARTISTA: Wire

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.