Resenhas

wordsmith.wav – Channels

Das entranhas do underground, uma pequena pérola “pós-Odd Future” que mostra como a nova geração do Rap segue inspirada

645 total views, no views today

Ano: 2020
Selo: The Order Label / Alphapup Records
# Faixas: 9
Estilos: Rap, Lo-fi Rap
Duração: 22'
Produção: wordsmith.wav e ProJetSun

Às vésperas da eleição presidencial americana, um disco de estreia remonta em sua faixa de abertura uma entrevista icônica de Angela Davis, filósofa e ativista política, um trecho de uma palestra de Neil Douglas-Klotz, doutor e pesquisador sobre estudos religiosos e espiritualidade e, ainda, um discurso inspirador do movimento de luta pelos direitos civis americanos. Essas três partes são ligadas por um familiar chiado de TV, introduzindo o primeiro álbum de wordsmith.wav: CHANNELS.

Produzido por ProJetSun e por words, o projeto conta com mais dois nomes por trás dos beats: Beau Yé Roc na faixa “SAILBLOCCS” e a co-produção de Yung Joe em “2PEACE OUTRO”. Fora isso, a ficha técnica inclui participações de Cashus King e Khvm. Dos seis nomes, o mais conhecido é o do Rapper Cashus King, que acumula pouco mais de 6.500 ouvintes mensais no Spotify Por curiosidade, wordsmith.wav tem apenas 33 ouvintes mensais no Spotify, mas, antes que isso seja muito low-profile para você, recomendo mergulhar no universo mágico que o rapper e produtor musical construiu na sua conta do Soundcloud.

Disponível desde 22 de março, CHANNELS apresenta o Rap de uma geração pós-Odd Future, mais especificamente pós-Frank Ocean & Earl Sweatshirt. Os beats carregam uma progressão melancólica, chegando a lembrar o Brockhampton da primeira parte da trilogia Saturation (2017). Tematicamente, segue o paradigma do Rap: o âmbito pessoal é político (e vice-versa). No geral, o disco assume um tom de autorretrato, que, por sua vez, pinta um quadro maior do país, a duras críticas.

A dinâmica de trocar os canais da televisão é um pontapé interessante: o chiado é nostálgico e abre espaço para que words aponte referências, o que já define seu posicionamento político-social, veementemente anti-racista. Na primeira faixa, temos a referência ao grande documentário sueco The Black Power Mixtape 1967-1975 (2011), de Goran Olsson – de onde é tirada a entrevista com Angela Davis –, e um discurso muito poderoso sobre unidade, amor, luta e (na versão estendida, disponível em uma espécie de trailer do álbum) sobre a falência dos valores morais, éticos e espirituais dos Estados Unidos.

O trecho de Neil Douglas-Klotz é realmente muito curto e, enquanto no vídeo original ele está falando sobre a tradução do “Pai Nosso”, esses segundos que wordsmith e ProJetSun inserem na primeira faixa servem mais como uma introdução ao artista do que como pensamento isolado, diferente do discurso da Davis, por exemplo. “Você não traduz palavras de uma só forma, você traduz em diferentes níveis, diferentes possibilidades de significado”, diz o doutor em estudos religiosos. No final da segunda faixa, words discorre sobre como traumas podem ser passados de geração para geração – e como isso mantém as pessoas pretas em uma lógica escravocrata. A terceira música começa com uma famosa cena de Um Príncipe em Nova York (1988), uma comédia sobre estereótipos racistas protagonizada por Eddie Murphy, em que o senhorio grita com um homem, que acaba de cair escada abaixo, para ele pagar o aluguel atrasado.

Da quarta música em diante, abandona-se essa espécie de colagem aos beats, o que abre mais espaço para conhecermos wordsmith, com linhas mais íntimas – só há chiados como transição entre as faixas, sem dar espaço para o estilo que estava sendo desenvolvido na primeira metade do disco. É nesse momento que wordsmith se apresenta como Joseph Hamilton, de Houston, Texas – mais vulnerável, romântico até. Dinâmico, CHANNELS chega a sua nona faixa sem perder o fôlego, deixando no ouvinte um apetite por alguns plays em seguida e mais de wordsmith.wav. Longe da ideia da troca compulsiva de canais de televisão, o álbum tem coesão e harmonia entre as faixas. No mais, aponta para uma nova geração, inspirada, latente e com muita coisa a dizer.

646 total views, no views today

ARTISTA: wordsmith.wav