Resenhas

Years & Years – Communion

Quantidade de músicas já conhecidas ajuda tanto quanto atrapalha álbum de estreia do trio

3,340 total views, 1 views today

Ano: 2015
Selo: Universal Music
# Faixas: 13
Estilos: Pop, Indie Pop, Pop Eletrônico
Nota: 3.5
Produção: Years & Years, Andy Smith, Mark Ralph, Two Inch Punch, Mike Spencer

Years & Years conseguiu ser cura e doença (mais o primeiro que o segundo) em Communion, seu tão aguardado primeiro álbum, que veio após ser adiado repetidas vezes para trazer, em sua maioria, faixas que já haviam sido lançadas anteriormente.

Das treze músicas que compõem a versão regular da obra, nove foram mostradas em algum momento entre o início de 2014, quando a banda despontou com Real, e algumas semanas antes do lançamento do disco – caso de Foundation. Essa escolha poderia ter um efeito desastroso, não fossem tanto a vontade do público de ter acesso a um material mais extenso do grupo, quanto à própria qualidade dessas faixas.

As novidades, como Gold e Ties, trazem mais do som que consagrou o trio como um dos nomes mais interessantes do Pop neste meio de década: Referências da música Eletrônica, aspecto dançante, letras fáceis de decorar e o vocal cheio de carisma de Olly Alexander. Elas ficam bem ao lado de hits como Desire e King, pequenas preciosidades da música popular britânica de hoje em dia e ainda os momentos mais louváveis da banda.

Without vem como a balada “ying” que fecha o “yang” dançante de Communion, enquanto Border tem cara de ser aquela que parece estar apenas ocupando espaço no disco, mas revela-se uma das melhores ao vivo. Nos outros momentos, Take Shelter e Shine não escondem o valor que já conhecíamos e Real surge caprichada com um refrão mais fácil de ser cantado nos shows.

Cada música que Years & Years lançou no último ano e tanto provou seu posto de “promessa” entre os nomes do Pop britânico e mundial, e é bom ver todos os sucessos reunidos dessa forma. Contudo, a falta de novidade impede Communion de atingir qualquer status monumental em um cenário maior. Na história do trio, contudo, consolida o início do que pode vir a ser uma bela história.

3,341 total views, 2 views today

BOM PARA QUEM OUVE: Sia, SILVA, Foster the People
ARTISTA: Years & Years

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.