Resenhas

Yelle – Complètement Fou

Novo álbum alavanca alcance do grupo a novos patamares

2,160 total views, 1 views today

Ano: 2014
Selo: Kemosabe Records
# Faixas: 13
Estilos: Electro-Pop
Duração: 41:53
Nota: 4.0
Produção: Dr. Luke

Yelle, que se consagrou como fenômeno Electro-Pop desde o lançamento de seu primeiro trabalho, ainda em 2007, intitulado Pop Up, chega com um novo álbum que alavanca seu alcance a novos patamares. O grupo francês liderado por Julie Budet surgiu amparado por um cenário que misturava seu gênero musical contemporâneo (com pitadas precisas de nostalgia em sua fórmula) propício para as pistas de dança, a um estilo de vida jovem e alternativo. Sete anos depois, sabemos que a repercussão de seu nome não foi à toa.

Alternativo, sofisticado e dançante, Complètement Fou une a aura blasé dos franceses e a beleza de seu idioma ao máximo high-tech das superproduções Pop norte americanas mainstream.

De fato, Complètement Fou evolui o status de Yelle com justiça: a sonoridade, que antes tinha uma roupagem de produção underground e caseira, agora é abraçada pelo envolvimento de Dr. Luke, produtor responsável pelos fenômenos Pop Katy Perry, Pink e Rihanna (só para citar alguns), e substitui os ruídos próximos dos 8-bits de outrora para a masterização hi-fi das superproduções. Ao mesmo tempo, seu universo de calças slim neon, sneakers que flertava com o universo LGBT (ainda chamado de GLS na época) agora assume seu papel dentro da cena enquanto incorpora o que parece ser a evolução estética do hype Electropop: a apropriação do webdesing dos anos noventa somada ao glitch e à fascinação nostálgica chamada Vaporwave.

Yelle parece ser o nicho correto para difundir (ao lado de outros bons exemplos vindos do Synthpop, como Grimes) uma cena que parece, até agora, existir com contundência apenas dentro do submundo do Tumblr. E parece também muito justo que seja assim. Resta esperar, aliás, que (diferentemente de outros fenõmenos do Pop mainstream) Yelle não se utilize do freak como mero recurso de polêmica. Há de se imaginar que não, pois tudo neste trabalho parece coerente, por mais estranho que possa ser.

2,161 total views, 2 views today

BOM PARA QUEM OUVE: Vive La Fête, La Roux, The Ting Tings
ARTISTA: Yelle
MARCADORES: Electro-Pop, Ouça

Autor:

Discreto e silencioso. Falo pouco, ouço bem, porém.