Black Drawing Chalks – Cine Joia, SP

Nem a quarta-feira que ameaçava chuva em São Paulo espantou os fãs que compareceram ao incrível show de estreia de “No Dust Stuck On You”, novo disco do quarteto goiano

 2,143 total views

Fotos: Adriano Viana
Nota: 4.0

O Cine Joia já estava preparado para muita distorção, guitarras e testosterona em uma noite repleta de novidades, não só da Black Drawing Chalks, atração principal, mas também das Vespas Mandarinas, que abririam para os goianos. O público já se animava com uma boa dose de Rock and Roll retirado de varias épocas, mas que sempre mantinha os mesmos elementos guitarreiros e pesados que o DJ colocava para entreter os fãs enquanto as bandas não subiam ao palco.

Não demorou muito para que a primeira atração entrasse em cena. Chuck Hipolitho e sua turma mostraram seu som cru e dançante e cumpriram exemplarmente a função de aquecer o público para a porrada que viria a seguir. No set, além das canções já conhecidas como Cobra de Vidro e Retroceder Nunca (Render-se Jamais), havia também algumas novidades que até então estavam guardadas para o primeiro disco da banda – que, segundo Thadeu Meneghini, deve sair entre os últimos meses deste ano e os primeiros do ano que vem. A restrição de tempo não deixou o grupo tocar mais, mas certamente a plateia gostaria de mais algumas novidades.

O quarteto goiano subiu ao palco ao som de muitos aplausos e, sem perder tempo, começou a tocar. Apesar de ser uma estreia (de seu terceiro disco, No Dust Stuck On You), a banda não demonstrava sinais de ansiedade ou insegurança. No palco, se via músicos que carregavam em suas bagagens muita experiência adquirida ao longo de anos de estrada e uma incrível presença de palco, além do figurino especial para a noite do baixista Denis de Castro e seu visual retirado de um guarda roupa dos anos 70.

A banda, que tocava algumas músicas em seguida, demorou em saudar o público paulista, que mais tarde o vocalista e guitarrista Victor Rocha disse ser um dos mais receptivos para o trabalho do quarteto e que já se sentia em casa ao vir à cidade. Depois disso, a interação com o público era feita com mais frequência. Entre um agradecimento e outro, o grupo ainda comentava um pouco sobre a ansiedade de lançar logo o novo álbum e a escolha da cidade para inaugurá-lo.

O Black Drawing Chalks soube dosar bem o set. Soltando algumas músicas já conhecidas (as cantadas e comemoradas pelos fãs), como My Favorite Way, Free From Desire, My Radio e Don’t Take My Beer, retiradas do disco Life Is A Big Holiday For Us, com as faixas novas do No Dust Stuck On You, que se não tiravam um coro da plateia, pelo menos arrancavam alguns passos de dança.

O tradicional bis veio com uma surpresa: Chuck Hipolitho, que já havia subido mais cedo para tocar guitarra em uma das novas canções, agora empunhava as baquetas e surpreendia muita gente com sua habilidade no instrumento. Esse retorno rendeu também um momento divertido para o público, que começou o “bate cabeça” em baixo do palco embalado por um dos hits dos primeiros discos da banda.

Ao fim do show, a banda agradeceu novamente a presença de todos que saíram de suas casas em uma quarta-feira só para prestigia-los. E, creio que ninguém ali se arrependeu de ter feito isso. Afinal, nada melhor que terminar uma quarta embalada por muita música boa e várias novidades.

 2,144 total views

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts