Céu – Parque da Juventude, SP

Groove, sensualidade e bons hits da cantora encheram o amplo gramado do evento gratuito na zona norte paulistana

 4,560 total views

Fotos: Fernando Galassi/Monkeybuzz
Nota: 4.5

O dia quente e claro não poderia ser mais convidativo a um show da cantora Céu, que aportava junto à sua caravana neste último domingo no amplo Parque da Juventude. Apesar do sol ainda seguir a pino em plenas 14h, esse era o horário previsto para o início da esperada apresentação da paulistana. Alguns minutos além do previsto e o grande gramado verde da tal ETEC próxima à Estação Carandiru ficava cada vez menos espaçoso. O público fiel da artista se refrescava e parecia driblar bem o clima para ver a tal performance aguardada.

Ao subir ao palco, Maria do Céu proporcionou à plateia uma animação redobrada típica de início de show. A própria se impôs a público com os inquietos cabelos cacheados presos para o lado, o maiô bordado com lantejoulas em tons esverdeados sobreposto de uma bermuda jeans que deixava suas pernas a mostra enquanto ensaiava passos espontâneos com os quadris, abrindo o evento com Ffree e Falta de Ar. Do alto de seu par de chinelos rosados, a vocalista manda beijos e faz gestos carinhosos a quem está por ali. “Vocês são demais. Estão passando calor debaixo desse sol e ainda cantando tudo junto!” – comentou a própria.

O repertório trazido por Céu veio em maioria diretamente ligado a seu último lançamento, Caravana Sereia Bloom. Recheado de Groove, Afrobeat e com vocais em um Soul abrasileirado, a jovem trouxe a público composições como Amor De Antigos, Retrovisor, Contravento, Chegar Em Mim, Sereia e Teju Na Estrada. No entanto, a própria não desapontou e trouxe também músicas como a sensual Grains De Beauté e as geradoras de grandes coros, Malemolência e Cangote, que foram destaques tanto de seu álbum de 2009, Cangote, quando do homônimo estreante em 2005.

A flexibilidade da musicista se estende para beloz covers que também costumam circular em seus shows e se adequam facilmente ao seu tom, como a latina e já veterana Piel Canela, do Trio Los Panchos. A tarde também veio regada a Bob Marley e sua readaptação feminina de Concrete Jungle, que ocasionalmente aparece nas apresentações de Maria. No Bis, não poderia ter sido diferente: A intérprete surpreendeu ao apresentar Visgo De Jaca de Martinho da Vila e se despediu sorrindo e emanando boas vibrações à plateia, que já se via extasiada após uma apresentação tão graciosa e adequada para um domingo de sol.

 4,561 total views

ARTISTA: Céu

Autor:

Jornalista por formação, fotógrafo sazonal e aventureiro no design gráfico.