Paul Banks – Cine Joia, São Paulo

Segundo o próprio músico, a despedida de sua turnê de “Banks” “não poderia ter sido melhor” – e ele tem razão

 2,894 total views

Fotos: Fernando Galassi/Monkeybuzz
Nota: 4.0

Paul Banks é um músico que dispensa apresentações, ainda mais por ter atuado por mais de 10 anos na seminal Interpol, banda que ajudou a pautar o movimento Indie no começo dos anos 2000. Os desavisados que foram ao show esperando qualquer hit da banda podem ter saído desapontados, mas para quem foi curtir o show do músico teve a reação oposta.

“Esse é meu último show da turnê e não perderia ser melhor, muito obrigado a todos” essa foi a última frase dita por Banks antes de encerrar a performance com a ótima Games For Days, porém este sentimento já transparecia em sua cara desde o inicio da apresentação. Sua interação com o público não foi a das mais desenvoltas, mas entre um “obrigado” e outro se via um sorriso espontâneo estampando seu rosto e creio que para seus fãs isso faz toda a diferença.

Agora, voltando ao inicio do show: Paul, acompanhado por sua banda, começou com faixas de seu primeiro disco solo, Unwind e Fun That We Have, esta segunda muito comemorada desde seus primeiros acordes, apresentaram o clima atmosférico e melancólico que tomaria conta do resto da noite. Sem muitas surpresas, sua apresentação transcorreu quase como uma versão ao vivo dos discos, sem tirar ou por nada, mas ainda assim as músicas ganhavam ainda mais poder quando entoadas pelo público.

A primeira faixa de seu novo disco, Banks, foi a “simpática” I’ll Sue You. E, já a este ponto, músico e banda estavam todos à vontade; Paul continuava sorrindo e respondendo aos gritos do público (e histéricos da ala feminina) com acenos e agradecimentos, enquanto isso, o guitarrista Damien Paris (e sua barba muito estilosa) parecia estar realmente curtindo show, dançando e fazendo alguns gracejos com quem estava logo abaixo do palco.

A partir daí, a apresentação pendulava entre faixas de seus dois discos, quase todas, principalmente os singles, foram muito aplaudidos e acompanhados ao gogó pelos presentes. A dobradinha Only If You Run e Fly As You Might foi um destes momentos que, juntamente ao duo de Over My Shoulder e The Base, foram os momentos mais intensos do show. A instrumental Lisbon também ganhou sua versão ao vivo, explodindo em diversos momentos, criando instantes volumosos e fortes, que se alternavam com os mais dóceis e melódicos.

A ensolarada Summertime Is Coming tardou a aparecer, tocada quase ao fim do set, mas também foi uma das mais comemoradas. Com esta, Paul se despediu do público (pela primeira vez). Técnicos subiram ao palco, recalibraram os instrumentos e o logo Banks e companhia retornaram às suas posições e tocaram mais três faixas. Skyscraper, On The Esplanade e Games For Days fecharam a noite neste show incrível, que só possível graças a tríade Playbook, NME Club e Jack Daniel’s, e claro os fãs, que fizeram não somente sua noite especial, mas a de Paul também.

 2,895 total views

ARTISTA: Paul Banks
MARCADORES: Cine Joia

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts