Summer Break Fesvital – Especial Incubus e Dave Matthews Band

Duas bandas foram as headliners e fecharam muito bem o calendário de festivais de 2013

 2,296 total views

Fotos: Foto por Fabio Braga/Folhapress
Nota: 4.0

Sábado foi marcado pelo clima instável na cidade de São Paulo, em que sol e chuva brigavam por aparecer. Se o calor dominava as primeiras horas da tarde paulistana, a ameaça de chuva foi quem esteve presente durante todo o fim de tarde e começo de noite – garoando algumas vezes durante o dia, mas nada que afugentasse os fãs das bandas que seriam os headliners da noite. A primeira edição do Summer Break foi marcada também por shows que tiveram alguns problemas técnicos (o som estourado no show do SOJA e o contrabaixo muito baixo na apresentação d’O Rappa) e alguns pequenos atrasos que, por efeito dominó, acabaram tardando todas as apresentações, porém nada que prejudicasse a experiência do festival como um todo.

A noite já começava e o céu nublado escurecia quando a organização do evento anunciou que o show do Incubus teria um pequeno atraso por conta de problemas técnicos ocasionados por uma pane elétrica no palco. Aproximadamente 30 minutos após o horário estipulado a apresentação, começou com a dobradinha Quicksand e A Kiss to Send Us Off, faixas que apresentavam ainda alguns problemas no som, principalmente nos volumes dos instrumentos. Corrigido estes erros, o show prosseguiu sem mais nenhuma intempérie. Megalomaniac, tocada na sequência, deixaria bem claro que a noite seria guiada por um compêndio de hits e não de uma apresentação cuja tônica seria dada por seu disco mais recente, If Not Now, When? (2011), do qual foram tocadas somente duas faixas (Adolescents e In the Company of Wolves).

Escolha assertiva para um show de festival (em que muitos dos presentes pareciam estar lá somente para ver Brandon Boyd e companhia), a banda despejou canções famosas na plateia: Nice to Know You, Circles, Love Hurts, Anna Molly (estas três ultimas tocadas em sequência), além de outros hits, como Drive (um dos momentos mais emocionantes de todo o set), Wish You Were Here e Sick Sad Little World. Fechando a apresentação, Pardon Me ainda contou com um pequeno trecho de I Want You (She’s So Heavy), do The Beatles.

Boyd e companhia conduziram muito bem o show (apesar de não trocarem muitas palavras com a plateia), imprimindo grande energia em suas faixas e sabendo dosar bem suas baladas com as faixas mais agitadas. Um show que certamente agradou boa parte dos fãs que vieram somente pelo quinteto californiano.

Algo comum em outros festivais, porém curioso em um que tem somente um palco, é que houve, de certa forma, uma troca de público entre os shows do Incubus e Dave Matthews Band. Ao mesmo tempo que muita gente se distanciava do palco, alguns rumo às suas casas, outro septo se aproximava para acompanhar a apresentação da banda e seu carismático líder, que sofreu um atraso de quase 40 minutos, devido àquele efeito dominó que se agravou ainda mais com a falha nos equipamentos do show anterior.

Com uma apresentação de mais de duas horas e meia, o sul-africano e seus companheiros comandaram o show mais animado da noite, que embalou muita gente e fez dançar até mesmo quem já estava cansado depois de longas horas de festival. Iniciando com Don’t Drink the Water, o show continuou também soltando alguns dos hits acumulados em quase duas décadas de banda: Ants Marching, #41, Two Step, The Space Between, What Would You Say e Jimi Thing foram responsáveis pelos momentos mais animados da apresentação.

Com muitos solos (de praticamente todos os músicos no palco), o show prosseguiu com faixas que se estendiam e ganhavam longas jams. O resultado de músicos que pareciam se divertir ali em cima do palco se replicava no público, que parecia também se divertir muito. Esse clima descontraído ganhava ainda mais força com as brincadeiras de Dave com a plateia entre uma canção e outra. “Se vocês não estão entendendo quando eu falo, não se preocupem. Quem fala inglês também não entende” brincou o músico em certo ponto da apresentação.

Assim como Incubus, a banda deu ênfase em seus antigos sucessos e tocou apenas duas faixas (Rooftop e If Only) de seu mais recente álbum, Away From The World (2012). Deixando para o bis canções como Grey Street, Two Step e Tripping Billies, Dave Matthews Band encerrou o festival com o melhor show da noite, impecável em todos os sentidos.

 2,297 total views

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts