O universo peculiar de Elena Colombi

Sets da DJ residente na NTS Radio são uma aula de música

O universo peculiar de Elena Colombi
Divulgação

O termo “estranho” pode caracterizar tudo que é incomum ou excêntrico. Fugir de fórmulas é a especialidade do programa da DJ Elena Colombi na NTS Radio, definido como “seleções para tornar as segundas-feiras estranhas”. Confirmada nas programações do festival Dekmantel em São Paulo e na versão Selectors na Croácia, a DJ chama atenção ao destilar sets envolventes com pesquisas musicais fora do trivial, capazes de provocar espanto por causa da origem inusitada. Ela já passou por pistas como a Saüle no Berghain (Berlin), De School, (Amsterdam), Aoyama Zero (Tóquio) e Concrete (Paris), entre outras.

Elena é dona de mixes cheias de sensibilidade, apesar de improváveis. “Eu seleciono música que amo, independentemente do gênero, origem, época ou popularidade. Não acho que o termo estranho o descreva propriamente. Mas talvez a maneira em que eu agrupo tudo isso é estranha!”, conta a DJ em entrevista ao Monkeybuzz. O garimpo sonoro de Elena pode encontrar preciosidades tanto de Electro quanto de Pós-Punk, EBM, Industrial e até Dub e Reggae.

Dá para ter uma dimensão do nível de pesquisa da artista nesta seleção feita para a Red Light Radio, na qual figuram faixas de Atom Cristal & Satellite, Minimal Man e Rodion G.A. É ouvir uma verdadeira aula sobre música eletrônica experimental.

Vale destacar o cuidado com que ela mantém o visual dos podcasts do seu programa na NTS Radio. “Sempre busco por imagens que me inspiram e se encaixam na música que eu gostaria de tocar. As seleções incluem fotógrafos como Vivienne Sassen, Marton Perlaki, Lena Emery e Synchrodogs ou a artista Polly Penrose, Spencer Tunick, Li Wei, Angela Deane e outros”.

Outros ares
Nascida na Itália, ela não teve uma infância tradicional. Filha de pais viajantes, passar o natal em locais como Tailândia, Índia ou outro lugar na América do Sul era o “normal” de uma rotina peculiar. O espírito nômade fez Elena abrir os ouvidos para influências musicais de vários países. Aos 21, curtiu muito um set do DJ Parrux, o que lhe despertou a vontade de discotecar, saciada após um amigo emprestar equipo nas primeiras empreitadas.

Em 2008, mudou-se para Londres somente com a passagem de ida. O perfil inquieto da artista se refletiu na criação da festa Abattoir no ano seguinte. “Passei meu primeiro ano e meio em Londres saindo tanto quanto pude. Já estive em muitas noites e locais que não existem mais! Mas, ainda assim, pensava que faltava alguma coisa… então comecei a Abattoir. Utilizei uma variedade de espaços diferentes, convidei DJs e artistas realmente inspiradores e criei um ambiente onde todos eram bem-vindos, independentemente da idade, gênero, orientação sexual etc. Conheci pessoas realmente incríveis por causa disso”.

No time de artistas que tocaram na Abattoir, conhecida por trazer excelentes atrações antes de se destacarem na cena, estão Andy Blake, Lena Willikens, Mark Seven, Hunee, Bicep, Trevor Jackson, Ali Renault, Kinky Afro, Marvin & Guy, Jane Fitz, Giles Smith e outros. Em algumas edições, Elena se apresentou sob o nome RUFUS&Bambi, no qual mostra uma faceta altamente inflamável de Acid House.

Aventuras musicais
Pelo jeito, Elena vai continuar a rotina viajante por um bom tempo. Japão, Coréia do Sul e Rússia foram um dos destinos de gigs da DJ. Entre as parcerias, além da NTS Radio, ela participou de showcases da Red Light Radio. Mas uma apresentação teve destaque especial: o B2B com o inglês Jon K, que há duas décadas movimenta a cena underground experimental de Manchester.

“Conheci Jon apenas alguns minutos antes de tocarmos numa noite NTS na The Whitworth Gallery em Manchester. Assim que terminamos o Djing, ambos concordamos que devemos fazê-lo novamente. E nós fizemos! Tocamos na Rye Wax (Londres) no mês passado num B2B do começo ao fim. Foi uma noite super divertida. Tenho a sensação de que iremos tocar juntos novamente em breve”.

Artista: Elena Colombi

Marcadores: Dekmantel Festival São Paulo, Eletrônica