Música a Qualquer Hora e em Qualquer Lugar

Analisamos alguns dos lançamentos recentes de serviços de streaming e redes sociais para fãs de música, entre elas o Deezer, Oi Rdio, novo SoundCloud e o redesenhado Myspace

 6,352 total views

Nós sabemos muito bem como funciona: Cada semana, apresentamos dezenas de novas bandas, discos e faixas. Os lançamentos não param, mas o espaço em nossos computadores, tablets, telefones e MP3 não crescem proporcionalmente. Para usuários Apple, já apresentei o iTunes Match como uma boa solução, mas a mudança definitiva parece estar chegando com os serviços de streaming e algumas redes sociais com foco nos fãs de música.

Falo “no futuro” pois estamos no Brasil, já que lá fora a realidade é outra, onde serviços como o Spotify e o Pandora estão definitivamente conquistando os ouvintes. Mas e por aqui? Já temos boas alternativas ou teremos que esperar um bom tempo até esses serviços chegarem a nós oficialmente?

Com o lançamento do novo Myspace e do Deezer no Brasil, decidi estudar as alternativas e avaliar seus prós e contras, principalmente para nós que gostamos de bandas nem tão populares assim.

Deezer

Deezer

O serviço francês tem uma longa história de altos e baixos, mudanças de nome e processos pelo mundo, mas parece estar se estabilizando nos últimos anos. A empresa chegou recentemente no Brasil e me surpreendeu positivamente já de início.

Com 7 milhões de usuários ativos e um catálogo com mais de 20 milhões de faixas, o serviço me pareceu bastante útil para a maior parte dos usuários.

O catálogo parece ótimo, usei o serviço por cerca de uma semana e encontrei 90% de tudo que procurei, em sua maioria as bandas que sempre falamos aqui no Monkeybuzz. A recência dos lançamentos também me pareceu muito boa, com últimos álbuns do Ducktails, Delphic, Foxygen e A$AP Rocky por exemplo. Em meus testes, falhou em achar os trabalhos mais recentes de Toro y Moi, Ra Ra Riot e Andy Stott.

O problema mais nítido acontece no streaming de nossas bandas nacionais favoritas. Tive a sorte de encontrar SILVA, Thiago Pethit, Tiago Iorc e Caetano Veloso, mas não aconteceu o mesmo ao buscar Cícero, Cambriana, Tulipa Ruiz, Otto, Jair Naves e nem Vivendo do Ócio.

Quanto aos recursos, assim como em grande parte desses serviços, existe a opção de fazer streaming através da maioria dos smartphones e tablets, além da possibilidade de fazer download de faixas para serem ouvidas em modo offline. O ponto fraco foi a ausência de um aplicativo próprio para o computador, que melhoraria bastante a experiência de uso do serviço.

Ele possui diversos outros recursos, como rádios personalizadas no estilo Last.FM, playlists, marcação de artistas favoritos e compartilhamentos infinitos nas redes sociais, mas nenhum deles me pareceu grande coisa.

Recomendaria o plano de R$14,90/mês que permite streaming ilimitado no computador ou nos dispositivos mobile, em wi-fi ou 3G sem pestanejar como uma ótima opção se não fosse o superior Oi Rdio, que falarei a seguir.

Oi Rdio

Rdio

Mais popular do que o anterior, o serviço Rdio, que chegou ao Brasil há algum tempo em parceria com a empresa de comunicações Oi, oferece o mesmo que o Deezer e um pouco mais.

O catálogo é um pouco superior, encontrando alguns dos artistas que não encontrei no concorrente como Toro y Moi, Ra Ra Riot, The Joy Formidable, Vivendo do Ócio, entre outros.

Rdio

A vantagem do Oi Rdio ainda está no fato de possuir um bom aplicativo para o computador e aplicativos limpos e fáceis de usar para o smartphone. Me surpreendeu positivamente a maneira como o aplicativo parece nativo tanto no computador quanto nos dispositivos móveis, funcionando com botões do teclado, controles no fone e tudo mais. A qualidade do streaming também é bastante aceitável, como a de um MP3 comum encontrado em serviços como o iTunes.

Os planos possuem os mesmos valores que o Deezer, além de praticamente os mesmos recursos. Vale dar uma pesquisada em ambos para ver se encontra seus artistas favoritos antes de fechar algum, mas já que são produtos substitutos, eu recomendaria o Oi Rdio sem pensar muito.

Myspace

Myspace

Eu realmente duvidei da utilidade do Myspace quando anunciaram essa nova versão. O serviço parecia estar com um design bem mais visual, limpo e a interface de uso mais simples, mas não parecia trazer muito mais novidades do que isso.

A proposta do serviço parece ser a longo prazo, uma plataforma que privilegia a descoberta de novos sons e artistas. Realmente, apesar de sua interface não muito comum, com rolagem lateral ter uma curva de experiência considerável para alguns usuários, o site parece privilegiar essa experiência, incentivando-nos a fazer buscas e interagir com páginas de artistas e novos lançamentos. O único detalhe é que praticamente não há conteúdo ainda.

Sem músicas para ouvir e sem amigos para adicionar, a rede social por enquanto ainda é um pouco inútil. Diferentemente do restante da Internet por completo, o Myspace não incentiva nem facilita o compartilhamento de conteúdo para outras redes sociais, como o Facebook ou o Twitter, e muito menos permite a postagem de conteúdo de outros sites como YouTube, Soundcloud, Bandcamp ou mesmo algum artigo.

Mesmo com a melhora natural que acredito que aconteça com o serviço nos próximos meses, não acredito que será muito útil para a maioria, principalmente para quem tem o gosto musical parecido com o nosso aqui do Monkeybuzz. Os artistas com músicas lá, se limitam a cantores e bandas Pop, que mesmo assim, estão presentes com menos de meia dúzia de canções, não justificando a audição por lá. Vamos torcer.

Bandcamp for fans

Bandcamp

Há algum tempo, o Bandcamp vem se consolidando como uma das ferramentas mais interessantes para novos artistas lançarem seus materiais e para o público descobrir novidades para ouvir.

Há algumas semanas, a empresa lançou um novo recurso no site, o Bandcamp for fans. A ferramenta permite que ouvintes criem seus próprios perfis na plataforma, salvem álbuns para ouvir depois e saibam o que seus amigos andam ouvindo, além de poder compartilhar seus próprios dados com eles.

A grande diferença e destaque da plataforma é o incentivo e o foco na compra e download dos novos discos. Só é possível criar uma conta no serviço quem já comprou algum disco no site, e não apenas ouviu em streaming. O objetivo é apoiar os novatos, o que sempre foi o foco da plataforma.

Vale a pena comprar algum disco e passar a dar mais atenção para o Bandcamp. Muitas das melhores descobertas recentes surgiram por lá. A página Discover é um bom lugar para começar, ou se preferir, posso sugerir o novo da Cambriana, o R&B de Milo, ou o álbum de estreia da Half Moon Run, presente em nossa lista de melhores álbuns e estreias de 2012.

Novo Soundcloud

Soundcloud

No fim do ano passado, o SoundCloud passou por uma aguardada, mas polêmica reforma. Apesar de trazer novos e ótimos recursos pedidos e aguardados pelos usuários, parece que a execução não foi das melhores e as reclamações não pararam.

Apesar das reclamações, a mudança foi muito bem-vinda, trazendo melhorias na busca, possibilidade de repostar sons, criar suas próprias compilações, o player contínuo que permite o ouvinte continuar navegando pelo site sem que a música pare, além de outros detalhes tanto em seu site como em seus ótimos apps mobile.

O SoundCloud tem se estabelecido como a plataforma mais consistente de lançamentos, não só de artistas iniciantes, como de consagrados também. Além de músicas, tem sido uma importante plataforma de publicação de áudio em geral, com muitos podcasts e programas do estilo. Como em toda fase de transição, existe uma curva de experiência normal e alguns defeitos podem acontecer, como algumas falhas que atingiram o sistema nas últimas semanas, mas em breve a tempestade passa e tudo voltará ao normal.

Como eu ouço música?

Como usuário Apple, até a semana passada estava muito feliz com o iTunes Match, pois armazenava todas as minhas músicas em meu computador e podia ouvi-las em todos os meus dipositivos, como Apple TV, iPhone e iPad. Ainda recomendo esta alternativa para quem é usuário de iOS e ainda não quer experimentar o streaming.

No entanto, ao começar a usar o Oi Rdio para escrever o artigo, o serviço me satisfez quase que completamente, não falhando nunca ao procurar meus artistas favoritos e com ótima qualidade de streaming tanto no wifi, quanto no 3G. No caso de alguns poucos artistas novos que não estavam no serviço, usei bastante a versão web do Bandcamp para celulares (aguardo ansiosamente um aplicativo nativo deles) e o app do Soundcloud para ouvir outras novidades.

Conclusão

A produção musical não para e a tecnologia também não. Cada vez mais, surgirão diferentes serviços, produtos que prometerão um mundo de boa música e facilidades, mas nem sempre vale a dor de cabeça da mudança.

Para um usuário comum, vale manter-se fiel ao seu método atual de ouvir música e pesquisar e experimentar bastante antes de mudar, principalmente se a mudança for paga. Essas plataformas recebem atualizações constantes, portanto não vale a pena ir para outro serviço apenas por um recurso ou outro que possivelmente deve aparecer no seu favorito também. O importante é nunca deixar de ouvir música.

 6,353 total views

MARCADORES: Streaming, Utilidade

Autor:

Nerd de música e fundador do Monkeybuzz.