Vivendo do Ócio + Vespas Mandarinas

Com abertura da banda Cristo Bomba, a noite no Clube Outs veio para desmentir a ideia de que não se faz Rock de qualidade no Brasil

2,723 total views, no views today

Fotos: Rafael Passos
Nota: 4.0

Por volta da meia-noite desse sábado para domingo, a fila do Clube Outs já percorria boa parte da calçada na Rua Augusta. Isso só servia para ilustrar a expectativa para os shows que iriam acontecer na casa logo mais, com Vivendo do Ócio e Vespas Mandarinas.

A abertura ficou por conta da Cristo Bomba, que trouxe Punk Hardcore que honrava o boné do supergrupo OFF! que o vocalista usava. Um show intenso e curto, típico do estilo, que serviu para aquecer o público da casa para o primeiro dos dois shows principais da noite.

Logo a seguir, subia a banda do aniversariante do dia, Thadeu Meneghini: Vespas Mandarinas iniciou seu show com as ótimas Sem Nome e Retroceder Nunca (Render-se Jamais). Em meio às outras músicas da banda, Cobra de Vidro recebeu um final especial ao ter o verso “Não precisa morrer pra ver Deus” de Não Existe Amor em SP do rapper Criolo.

Com direito a um “parabéns pra você” puxado por Chuck e acompanhado por todo o público, o show deu uma rápida pausa para homenagear Meneghini, que ganhou de presente dos companheiros de banda poder escolher duas músicas covers para se colocar na set list do show. Foram elas Coma Girl, de Joe Strummer And The Mascarelos e Expresso do Oriente dos Paralamas do Sucesso.

A recém lançada O Herói Devolvido, divulgada ao público em um vídeo divertido com participação dos patcharas das Vivendo do Ócio, se fez presente na set list da banda. O público ainda ouviu o hit Antes Que Você Conte Até Dez, uma versão aportuguesada de Antes De Que Cuente Diez, dos espanhóis Fito y Los Fitipaldi, e um cover de Head On do The Jesus & Mary Chain – num arranjo similar ao que foi tocado pela Legião Urbana no MTV Acústico . Por final, um pout pourri que contou com Um Homem Sem Qualidade da banda Banzé (ex-banda de Thadeu) e a clássica Polícia dos Titãs, foi responsável por dar um final extremamente energético e tipicamente Rock‘n’Roll.

Já se aproximando das três da manhã, era hora da Vivendo do Ócio trazer o seu som. Em um show com um set list bem equilibrado entre as músicas do novo e do antigo álbum, Bomba Relógio foi responsável por dar início à apresentação. Uma ótima escolha e que fez todo o público cantar junto em seu refrão contagiante e já entrar no clima do show. Sem muito papo e com muito Rock, a banda foi trazendo seus hits Hey, Dilema, Oh Não e as novas Por Um Punhado de Reais e O Mundo é Um Parque.

Chegando à metade do show, a banda fez um rápido discurso criticando as pessoas que dizem que não há Rock de qualidade no Brasil, e para desmentir isso tocaram 32 Dentes dos Titãs em companhia de Thadeu. O guitarrista ainda ficou no palco para acompanhar a Vivendo do Ócio na música Radioatividade, da qual é co-autor.

Após os hits Fora Mônica e Rock Pub Baby, a banda fez uma cover de uma banda punk do cenário underground da Bahia, a Pastel de Miolos, tocando a música Tapa na Cara que fala sobre o excessivo uso de violência por parte das autoridades policiais.

Para encerrar a noite, foi escolhida Silas – música de trabalho do novo álbum- que fez todo o público cantar junto, fazendo assim um belo encerramento para a apresentação de uma banda que sabe muito bem fazer shows para seus fãs.

2,724 total views, 1 views today

Autor:

Marketeiro, baixista, e sempre ouvindo música. Precisa comer toneladas de arroz com feijão para chegar a ser um Thunderbird (mas faz o que pode).