Entrevista: Crocodiles

Duo fala sobre show no Brasil e produção do álbum “Boys”, lançado neste ano

1,114 total views, no views today

Acontecerá em São Paulo na próxima terça, 11 de agosto, o show da banda Crocodiles, que vem ao país na promoção de seu mais recente disco, Boys, em uma noite que conta com abertura caprichada da banda The Soundscapes.

Dias antes, o duo respondeu por email algumas perguntas do Monkeybuzz sobre a vinda e o álbum, além de suas referências musicais. Vale a pena para conhecer mais por trás do grupo.

(As informações do show estão ao final da matéria!)

Monkeybuzz: Vocês estão vindo ao Brasil. Como é poder tocar em lugares tão longe de casa?
Crocodiles: É o máximo. Somos incrivelmente agradecidos por essa oportunidade. Espero que haja fãs aí tão animados quanto nós. Será um sonho que se realiza.

Mb: No mesmo assunto, como é ter tanta atenção vinda de outros países? Vocês também ouvem música de línguas diferentes do inglês?
Crocodiles: Ouvimos muita música de outros países que não os Estados Unidos e o Reino Unido, e nosso novo álbum, Boys, é o que melhor reflete isso. Ouvimos muito Salsa, Cumbia e música africana quando estamos na estrada.

Mb: Boys parece mais psicodélico, tem uma força diferente de tudo o que vocês lançaram antes. Por que vocês escolheram seguir por esse caminho no novo álbum?
Crocodiles: Queríamos fazer algo diferente. Esses são os sons que estão nas nossas cabeças já há anos e, nesse ponto, pareceu que estávamos prontos para lançá-los. Crimes of Passion foi um bom álbum Pop. Queríamos que Boys fosse mais estranho e bagunçado.

Mb: Como vocês decidem que faixas ficam de fora e quais entram no disco?
Crocodiles: Não deixamos nenhuma de fora. Escrevemos dez músicas e pronto.

Mb: Transylvannia tem provavelmente um dos arranjos mais loucos que Crocodiles já gravou. Parece que vocês conseguem sair do trilho ao mesmo tempo que mantém uma vibe Pop nela. É algo que passa pelas suas cabeças enquanto gravam?
Crocodiles: Amamos escrever música Pop e estamos constantemente tentanto fundir nossas inspirações mais barulhentas com nossas músicas mais “chicletes”. Esse disco tem provavelmente o melhor equilíbrio entre ruído e chiclete. Nossa tentativa sempre é “Pop Estranho”.

*Mb: Para um brasileiro, Don’t Look Up” parece algo que alguém que cresceu ouvindo Bossa Nova faria. Quais são as referências por trás da faixa?
Crocodiles**: Sim, Bossa Nova. Talvez, Os Mutantes também.

Mb: Pra terminar, o que vocês tem ouvido?
Crocodiles: Muito Punk, Reggae, Salsa, Cumbia, R&B…

Crocodiles em São Paulo Abertura: The Soundscapes 11 de agosto, terça-feira, às 21h00 (abertura da casa)
Serralheria – R. Guaicurus, 857 – Lapa, São Paulo
Ingressos: R$ 25 (antecipado), R$ 35 (na porta)
Informações: www.gorockbee.com (11) 2592-3923

1,115 total views, 1 views today

ARTISTA: Crocodiles
MARCADORES: Entrevista

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.