Pegue o Groove, Entre na Dança

Entenda em poucos passos um conceito mais fácil de compreender do que de se explicar

5,470 total views, no views today

Concorde você ou não, mas é muito provável que Get Lucky seja apontada como a “música do ano” assim que as listas começarem a aparecer. Mesmo com tanto hype em cima dela (e alguns exageros nas opiniões e elogios), não dá pra negar que ela tem uma qualidade dançante incrível, uma certa alma empolgante e convidativa no instrumental que não deixa ninguém estático. Ainda não percebeu? Preste atenção:

Um aspecto muito elogiado desta música da dupla Daft Punk é o tal do groove, um conceito muito mais fácil de ser entendido do que explicado. Pensa assim: Sabe aquele baixo contagiante que marca o ritmo junto da percussão? Aquela poderosa mistura contagiante com os outros instrumentos e a marcação da música que a gente sente no corpo todo?

Inclusive, há estudos neurológicos que mostram que sons com ritmo muito demarcado nos impelem ao movimento. Mas não se preocupe se isso ainda tá muito complicado ou mesmo abstrato. Preparamos um guia em poucos passos pra você pegar o groove e entrar na dança.

Um Passo Pra Trás

Não tem como falar de groove sem citar os grandes mestres do passado, das décadas de 1960 e 70. São nomes do Soul, R&B, Funk (o clássico, old school, não o carioca) e Disco que popularizaram o suingue nas pistas de dança aliados ao vozeirão característico que costuma acompanhar esses estilos. Confie, ouvir estes sons é mais legal do que nostálgico.

Otis Redding

Aretha Franklin

James Brown

Isaac Hayes

Bill Withers

Um Pequeno Passo Pro Lado

Por aqui em terras tupiniquins, alguns adicionaram um tempeiro brazuca, seja o do Samba ou o da malandragem, ao som que vinha do hemisfério norte e o resultado não poderia ter sido melhor. Sente esses sons:

Tim Maia

Jorge Ben (Jor)

Um Passinho Pra Frente

Os tempos seguintes continuaram a valorizar o balanço em composições e hits todos trabalhados no groove. Seja no Pop, Hip Hop, no Reggae ou mesmo no Acid Jazz, a alma robusta e rítmica das canções continuaram a fazer qualquer um se perder nas pistas, walk-mens e aqueles aparelhos de som que todo mundo tinha na sala de casa.

Michael Jackson

Prince

Queen

Jamiroquai

Uma Pequena Quebra de Passo, Sem Sair do Lugar

Mas não é só a música dançante que se aproveita de um bom groove, as baladas também sempre capricharam no suingue, a seu tempo, para criar uma ambientação mais calorosa e convidativa para suas letras, principalmente quando elas vem acompanhadas de belas vozes. É por isso que dá pra mergulhar e viajar profundamente em cada uma delas.

D’Angelo

The Fugees

Max de Castro

Pedro Mariano

Sade

Um Passo Pra Frente

O novo milênio viu um interesse crescente nessa mistura das batidas com os instrumentos e o resultado que isso causa no ouvinte. No constante hibridismo que é a música em nosso tempo, acústico, eletrônico, elétrico e vocal se misturam para criar o groove nas canções. Os estilos se confundem e o resultado é uma riqueza sonora que vale nossa atenção.

Amy Winehouse

Kanye West

Mayer Hawthorne

Janelle Monáe

Só em 2012, por exemplo, muitos dos trabalhos que colocamos entre os melhores do ano tinham um groove primoroso. Por exemplo:

Frank Ocean

Tulipa Ruiz

Jessie Ware

Alt-J

Rhye

Um Giro Para o Outro Lado

O último passo para você entender de uma vez por todas essa questão do groove é percebê-lo também em estilos e ritmos mais diversos com músicas nas quais você não esperava encontrá-lo, do Rock ao Folk.

Red Hot Chili Peppers

Cake

Tame Impala

Father John Misty

Bowerbirds

Então é isso. Pratique os passos – pode ser em frente ao espelho ou com um amigo – e aproveite o balanço agora desvendado pra curtir ainda mais os próximos sons que encontrar.

5,471 total views, 1 views today

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.