Darkwave: Similar, mas diferente, do Post-Punk

Apesar de semelhanças, os dois estilos se diferenciam em temática, alguns elementos instrumentais e texturas; o clima sombrio é o ponto forte na diferenciação

 10,052 total views

Há pouco tempo, falamos por aqui sobre Post-Punk, um estilo que acaba gerando algumas dúvidas com relação a outros subgêneros, como é o caso do Darkwave. Assim, resolvi falar um pouco sobre no que se assemelham e se diferem para (tentar) tirar essa dúvida da cabeça de muitos.

Antes de mais nada, relaxe, não vamos falar de extremos como bandas teatrais que jorram sangue, usam dentes de vampiros, andam em cemitérios e inventam línguas. Vamos nos ater à essência do estilo e não aos seus pontos fora da curva. Dito isso, vamos ao texto.

A semelhança com o Post-Punk se deve, além do fato de coexistirem na mesmo época, início e meio dos anos 80, a uma sonoridade mais introspectiva e com a utilização de elementos mais densos com presença de baterias eletrônicas e do baixo marcante.

Entretanto, o Darkwave acabou por adotar uma linha mais voltada para o Gótico e o New Wave do que o Post-Punk, trazendo temáticas mais sombrias e místicas às suas letras e ao estilo de vida do subgênero que se formava. Bandas como Bauhaus e Siouxsie and the Banhsess exemplificam muito bem essa adoção ao apresentar músicas que falam da noite, medo, solidão e ultra romantismo de segunda geração romântica, no qual o amor se torna algo incalculável ou então a solução póstuma de todos os males em vida.

Muitos podem não conhecer as duas bandas citadas, porém outras duas são muito conhecidas e também tem sua presença, mesmo que de passagem pelo estilo. Uma delas é o Joy Division, que apesar de ser um representante do Post-Punk, possui em sua obra, uma música que é tida por muitos como a introdução e inspiração para o Darkwave. Atmosphere, lançada em como single em 1980, após a morte de Ian Cutis, é uma faixa extremamente etérea e com as características sombrias que veríamos nas bandas que surgiriam. Essa relação só faz muitos associarem o Darkwave como uma continuação, um braço, do Post-Punk, o que não deixa de ser uma verdade visto que ambos os estilos possuem uma base temática e musical em comum.

Além dessa, The Cure em seu início de carreira, ou seja, final dos anos 70 e início dos anos 80, que mesmo já nos trazendo a sua carga New Wave com as baterias eletrônicas e sintetizadores, aparecia com um som levemente sombrio, como pode ser notado no disco Seventeen Seconds que contém o hit A Forest. Mais adiante, a banda iria apresentar músicas mais “ensolaradas”, digamos assim, como The Caterpillar, Boys Don’t Cry, Just Like Heaven e Friday I’m in Love, deixando um pouco de lado a carga dark/gótica de seu som e se atendo ao New Wave.

O fato é que o som da Darkwave influenciou artistas ao longo do tempo e se faz presente atualmente no revival que a cena Post-Punk como um todo teve no início dos anos 2000. Nomes como She Wants Revenge e I Love You But I’ve Chosen Darkness são uns que encabeçam essa nova linhagem e que trazem um som mais denso. Seja em She Wants Revenge e Fear Is On Our Side, ambos discos de 2006, percebemos a influências de um som dark, carregado de tensão e um clima de fobia e que faz jus aos nomes oitentistas.

Outros nomes, como Liars e White Rose Movement, são bandas que trouxeram um toque Electro ao estilo, utilizando ritmos eletrônicos na composição das músicas e dando uma roupagem mais moderna, mas ainda assim ganhando influência do estilo. Zola Jesus e Chelsea Wolfe são dois exemplos da safra atual que fazem o Darkwave mais etéreo – que muitos chamam de Ethereal Wave. Os vocais sombrios, porém sublimes e marcantes, fazem de suas suas obras extremamente belas e mergulhadas numa atmosfera dark e transcendente. Chelsea por exemplo, nos felicita duplamente, seja por trazer seu raivoso disco Ἀποκάλυψις (a.k.a Apokalypsis), ou com seu último disco que conta apenas com faixas acústicas e que apresenta um lado dark romântico extremamente belo.

A origem do Darkwave foi no início dos anos 80. O cenário musical era compartilhado com o Gótico, o New Wave e o Post-Punk. Confundir os dois é algo totalmente comum e compreensivo. As diferenças realmente são sutis, ficando em alguns detalhes instrumentais ou de elementos sonoros, como algumas texturas, e na temática. Entretanto, ambos os estilos foram e são importantes na história da música e que perduram nas influência de artistas que ouvimos.

Discografia Básica

Joy DivisionAtmosphere The CureSeventeen Seconds BauhausIn The Flat Field Siouxsie and the BansheesJuju

Discografia Atual

She Wants RevengeShe Wants Revenge I Love You But I’ve Chosen DarknessFear Is on Our Side Zola JesusStridulum II Chelsea WolfeἈποκάλυψις LiarsDrum’s Not Dead White Rose MovementKick

 10,053 total views

Autor:

Marketeiro, baixista, e sempre ouvindo música. Precisa comer toneladas de arroz com feijão para chegar a ser um Thunderbird (mas faz o que pode).