Músicas Novas em Velhos Filmes

E se nossas produções preferidas tivessem nossas bandas favoritas na trilha? Aperte o “play” na imaginação e entre na brincadeira

 3,450 total views

E se os filmes que você viu a vida toda ganhassem músicas que ouvimos hoje em dia?

Sabe como é, o “2 em 1” é tendência em um mundo em que as pessoas tem cada vez menos tempo – e nada é melhor do que você aproveitar duas de suas coisas favoritas de uma só vez.

A brincadeira de inventar novas trilhas para as produções que você já conhece tão bem pode revelar detalhes sobre as músicas e os filmes que você nunca pensou – ou, melhor ainda, te contar aspectos sobre seu gosto que você nunca percebeu (porque você talvez curta os dois pelo mesmo motivo).

Tentei reimaginar como seriam alguns dos repertórios de alguns dos preferidos de muita gente que eu conheço (e alguns que eu também gosto muito) com bandas que falamos bastante aqui no Monkeybuzz. Convido você a colocar a criatividade para funcionar e: 1. Tentar imaginar as cenas desses filmes com essas músicas; e 2. Criar também seu próprio mash up entre favoritos das telas e dos fones de ouvido.

Meninas Malvadas (2004)

A guerra de popularidade de Cady (Lindsay Lohan) e Regina George (Rachel McAdams) é o tipo de filme de menininha que homem também se diverte, o que contribuiu para sua popularidade. As vozes femininas imperam na trilha, seja em nomes do Pop da época, como Christina Aguilera e Pink, como das antigas, como Blondie e Peaches. Em nossa versão 2013, a versão bad girl de Kate Nash cairia como uma luva, amparada pelos sons mais doces de meninas como Ellie Goulding e Yuna.

Blade Runner (1982)

Um dos filmes que definiram os lançamentos de ficção-científica para sempre espelhou em sua música o aspecto futurista da produção ao misturar a música Clássica com sintetizadores. Mais de 30 anos depois, chega a ser engraçado pensar em música Eletrônica como “futurista”, mas o que artistas como Daft Punk, M83 e mesmo Kraftwerk fazem poderia combinar muito bem com o filme de Ridley Scott estrelado por um dos mais icônicos herois de Hollywood, Harrison Ford.

Cidade de Deus (2002)

Neste aqui, a música também foi pensada para retratar um período – ou melhor, três: As décadas de 1960, 70 e início de 80. Porém, em nosso pequeno “exercício criativo”, várias faixas de hoje em dia poderiam cair bem para o filme de Fernando Meirelles, principalmente as que se inspiram nos sons dessas épocas. Isso vai desde o groove de Criolo até a festa que Garotas Suecas fez em seu primeiro EP e em algumas faixas do primeiro álbum, e a força de Emicida poderia dar o tom de algumas das cenas de ação.

O Fabuloso Destino de Amélie Poulain (2001)

A música que Yann Tiersen criou para embalar as desventuras da personagem do título está tão enraizada na natureza do filme que dói o coração só de pensar em substituí-la por alguma outra. Mas, já que é só de “faz de conta”, seria legal assistir ao filme só com músicas do mais fofo Pop. Com isso, She & Him e Clarice Falcão poderiam ser boas escolhas para manter a leveza nas cenas de Amélie andando por Paris.

O Homem Que Copiava (2003)

Estrelado por Lázaro Ramos e Leandra Leal, este filme de Jorge Furtado chamou a atenção de todo o Brasil para o que estava sendo feito no sul do país – uma história que diversas de nossas bandas favoritas repetem. Todo ambientado em Porto Alegre, sua versão 2013 de trilha poderia contar com as conterrâneas Cachorro Grande e Apanhador Só, além de outros nomes da região Sul, como Nevilton e Sabonetes.

Simplesmente Amor (2003)

Um grande elenco em um emaranhado de histórias rendeu uma das melhores comédias românticas dos anos 2000. Sua trilha era predominantemente Pop Rock (com Dido, The Calling (lembra?) e Maroon 5), mas tantas emoções diferentes no roteiro pedem uma boa gama de estilos. Nossa versão deveria manter o mesmo romance da original, com músicas emocionadas e leves, mas com aquela cara Monkeybuzz. Minha sugestão é manter essa variedade de sentimentos ao incluir Feist, Local Natives, Lana Del Rey, Grizzly Bear e Florence + The Machine, além de Foster the People e Solange para manter o clima Pop. Ah, e a cena da mulher chorando as pitangas ouvindo um disco de Joni Mitchell poderia ser subistituída por Cat Power ou Fiona Apple.

 3,451 total views

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.