O Brasil Segundo Yuck

Max Bloom conta o que já aprendeu sobre o país nas turnês por aqui

1,855 total views, 1 views today

Já é a terceira vez que Yuck vem ao país e, se depender da vontade tanto dos fãs, quanto dos músicos, está longe de ser a última. Foi o que aprendemos durante um bate papo por telefone com Max Bloom, no qual ele contou um pouco sobre a experiência de estar no Brasil.

Belém (no Festival Se Rasgum), Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre e São Paulo (ambos no Balaclava Fest – informações ao final da página) receberam desta vez o quarteto britânico, que, nessas idas e vindas, acumularam mais quilometragem que a extensão de seu próprio continente.

E o que Max e banda aprenderam no trajeto, na promoção de Stranger Things? Foi o que ele contou.

Localizações

“Só tínhamos tocado em São Paulo antes, é bom poder ver outros locais no país e fazer shows em outras cidades. Eu não sabia que vários desses lugares existiam. Eu não sabia que Belém era praticamente na Amazônia”

Calor

“Esse calor é algo muito próprio daqui. É uma das poucas vezes que posso mesmo tocar o show usando shorts, não jeans. Eu nunca precisei tocar só de cueca, mas não descarto a possibilidade (risos)”

Comida

“A comida é ótima. Comi o melhor sanduíche da minha vida, era do tamanho do prato” (ele não se lembrava qual sanduíche, nem onde)

Cachaça

“Eu obviamente vou tomar caipirinha quando estou no Brasil. Mas tenho que tomar cuidado para não ficar muito bêbado muito rápido”

Fãs brasileiros

Stranger Things teve uma resposta muito boa por aqui. Não só ele, as pessoas mostram que conhecem todos os nossos discos, o que é muito legal. O público canta todas as músicas nos shows”

Os brasileiros, em geral

“Brasileiros são ótimos. Têm uma mente muito mais aberta e são muito mais simpáticos que as pessoas na Inglaterra. Muita gente em Londres vive triste, enquanto os brasileiros tendem a ser positivos e felizes. Quando você faz um show por aqui, as pessoas respondem muito mais às músicas, mostram que estão felizes em estar lá. Elas vêm falar depois do show, ninguém se acha cool demais. Isso deixa tudo mais legal para nós”

E sobre voltar ao Brasil

“É sempre um prazer estar aqui, é um lugar onde nem sonhávamos que poderíamos tocar quando começamos a banda. É difícil vir tocar com tanta frequência quanto queríamos, mas ficamos muito felizes em voltar sempre que podemos. ”

Serviço: Balaclava Fest (SP): Yuck, Mild High Club, Ventre e Bilhão

14 de novembro, a partir das 17h Clash Club (Rua Barra Funda, 969) Ingressos: Sympla

1,856 total views, 2 views today

ARTISTA: Yuck

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.