A indefinível e unânime Modeselektor

Dupla alemã que se apresentou no Sónar SP é favorita entre os nomes mais influentes da Eletrônica hoje. Conheça mais de sua trajetória

 3,344 total views

Não estamos falando de um DJ talentoso recém estourado que lançou hits bacanas no último ano. Pra falar de Modeselektor, tem que se falar de história. História mesmo, mundial. Os caras surgiram em um cenário completamente conflituoso, vieram trazer uma sensação de liberdade depois da queda do muro de Berlim. Em 95, a dupla encontrou o lugar perfeito pra impor uma música que trouxesse esse sentimento, justamente pra pessoas que se encontravam tão perdidas e desesperançosas. E vieram pra confundir.

Ninguém soube catalogar de forma certeira o Modeselektor, embora muitos tentassem com neologismos musicais que não fazem o menor sentido (como se soubéssemos fazer isso hoje também). Em 2001, o duo já tinha contrato assinado com a BPitch Control e, depois disso, o mundo foi bombardeado de remixes e EPs. Os críticos só tinham ouvidos para os ex-germânicos orientais. Thom Yorke declarou seu amor em público. Quatro anos depois, veio o primeiro álbum, intitulado Hello Mom!, e, sem muito tempo de respirar, o duo já veio com Happy Birthday em 2007 pra quebrar qualquer dúvida que pudessem ter sobre a força do Modeselektor. As pessoas surpreenderam-se com o “grime-techno-dubstep-acid-hip hop-electro” que estavam ouvindo. O que talvez você não saiba é que é exatamente esse nome grande que hoje suporta tantas músicas que se ouvem por aí nos hits “Jovem Pan”. Resultado? Em 2008, foram nomeados como Melhor Dubstep pelo BeatPort Awards.

Chega de história e cronologia. Depois disso, o duo já lançou mais 3 álbuns, sendo um deles Moderat (2009) que foi uma parceria com o produtor Apparat. Monkeytown (2011), último álbum lançado pelo Modeselektor, teve duas faixas com colaboração do vocalista do Radiohead já citado lá em cima: Shipwreck e This, sendo a última escolhida para um vídeo (produzido pela Future Deluxe e assinada por Andrew Jones) com uma capacidade cinematográfica incrível. Se liga no vídeo:

O duo já apresentou dois outros vídeos além de This em 2012. Berlin, assinado pelo designer francês François Chalet, e Evil Twin, produzido e dirigido por Dent.De.Cuir, que tem versão pra download ou 12 polegadas. Esse último clipe traz uma percussão forte que distoa um pouco da sinestesia que Thom Yorke deu em sua segunda e terceira colaboração ao duo alemão, sem contar que o vídeo também traz o símbolo do projeto (macaco) e é pra lá de divertido.

A dupla veio trazer um pouco do liquidificador musical pro Brasil no festival Sónar, que aconteceu no começo do mês passado, em São Paulo. Eu peguei só um pouco da apresentação, mais precisamente do meio pro final, mas deu pra sentir o gosto que as batidas insanas estavam causando naquelas pessoas. O show não era somente musical, os telões mesclavam exatamente a atmosfera que Gernot Bronsert and Sebastian Szary queriam passar com as batidas. Particularmente, em determinado momento, parecia mais um David Guetta/Calvin Harris (umas 3x melhorados) nas pick ups. Uma coleção de hits + remixes mais improváveis e até direito a um estouro de champagne – isso tudo vindo de dois germânicos que, visualmente, poderiam transparecer sobriedade, prepotência e inércia musical.

O gênero ainda é incabível à resposta, mas o talento dos caras é opinião unânime. Você pode saber mais sobre as últimas produções e ouvir tracks/compilações no Soundcloud dos germânicos.

Shipwreck

Berlin

Evil Twin

 3,345 total views

ARTISTA: Modeselektor

Autor:

Publicitário que não sabe o que consome mais: música, jornalismo ou Burger King