Tantas Coisas com Uyara Torrente (A Banda Mais Bonita da Cidade)

Vocalista comenta discos antigos, bons shows e livros favoritos

6,398 total views, no views today

Nós já ouvimos as músicas, agora é a hora de conhecermos um pouquinho mais sobre as pessoas por trás dos discos que tanto ouvimos. No Tantas Coisas, os artistas revelam ao Monkeybuzz detalhes de suas histórias, suas carreiras e predileções, tudo sem enrolação.

Uyara Torrente (A Banda Mais Bonita da Cidade)

(Após lançar seu primeiro DVD ao vivo, o grupo paranaense prepara-se para a produção de seu terceiro álbum, que conta com projeto de financiamento coletivo com audição antecipada das músicas)

Qual foi o primeiro disco que você comprou? “Eu demorei muito pra ter meu próprio dinheiro, então o primeiro que eu comprei, que eu pedi dinheiro do meu pai pra comprar, foi o primeiro da Maria Rita. Me lembro que a primeira vez que a vi foi em um especial na TV com uns vídeos dela cantando. Eu fiquei muito impressionada com ela, eu era bastante jovem e nem pensava em ser cantora, mas ela tinha alguma coisa que me seduzia muito – mais do que isso, me hipnotizava, eu achava muito forte. E o repertório desse disco me chamava muita atenção, era uma coisa muito foda e feita por uma geração jovem. Antes, eu ouvia Chico Buarque da época da ditadura, Novos Baianos, porque era o que tinha em casa, então ter um disco que era o que a galera estava fazendo ali naquele ano era novo pra mim”

Para você, o que faz um show ser bom?

“Tem uma parada no show que é muito determinante pra mim, quanto estou fazendo ou assistindo a um show, que é o quanto essas pessoas que estão ali estão de fato ali, saca? Às vezes, você vai assistir a cantores super afinados, ou uma banda super virtuosa, mas as pessoas não estão trocando energia com o público. Pra mim, a coisa tem que ser muito real, muito genuína. A pessoa que está ali abrindo a boca pra cantar tem que se expor, ela tem que se entregar, que estar inteira… ela tem que estar ali. Não precisa ser o melhor ou a melhor cantora do mundo, ter a melhor afinação, o que mais conta é o visceral, o quanto estamos juntos naquele momento do show, o quanto me sinto parte daquilo”

Quais os seus livros favoritos?

“Eu tenho uma artista favorita e ela faz muitas coisas – filmes, livros, artes visuais, performance -, o nome dela é Miranda July e seus livros têm sido os meus favoritos. O meu preferido se chama É Claro que Você Sabe Do que Estou Falando. O Escolhido Foi Você e O Primeiro Homem Mau também. Também gosto muito dos livros do Salinger, Franny e Zoey foi um que eu gostei muito e Carpinteiros, Levantem Bem Alto a Cumeeira

6,399 total views, 1 views today

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.