Apostas Monkeybuzz 2012

Antes do mundo acabar no fim do ano, tem tempo de sobra para que muitas das promessas de 2011 se concretizem. Conheça nossa lista daquilo que tem tudo para bombar na sua playlist nos próximos meses

4,904 total views, no views today

2012 já começa cheio de força, e nós do Monkeybuzz fizemos uma pequena lista de nossas apostas do ano. Prever o futuro é impossível, mas nossas fichas estão nesses nomes, que acreditamos que vão fazer um grande sucesso.

Tudo bem, nem tudo é tão surpresa assim (vide Lana Del Rey), mas são nomes que com certeza valem pena ser citados. Além de bandas ou artistas, acreditamos também em alguns movimentos musicais que vão voltar com força total. Fique de olho nesse pessoal e você não vai se arrepender.

A musa Lana Del Rey

A moça que vem arrebatando corações já estava fazendo um barulho antes mesmo do lançamento do seu disco. Elizabeth Grant já canta desde 2009, ano em que lançou um disco chamado Kill Kill e que passou despercebido do grande público. Em questão de alguns meses, Lizzy reapareceu como Lana Del Rey (Lana da atriz Lana Turner e Del Rey de um amigo da Flórida). Já com um novo visual, uma boca enorme, cabelo de diva e nome escolhido pela gravadora Interscope (mesma da Lady Gaga), eis que surge a nova femme fatale do Pop.

Video Games é o nome de seu primeiro EP que conta com duas canções, entre elas a viralizada faixa-título com um incrível clipe sessentista tudo a ver com a música da moça. Com um apelo visual inegável, seus clipes trazem um ar vintage muito forte, com takes supostamente caseiros e recortes de outros vídeos da época.

Lana, que se auto descreve como a gangsta Nancy Sinatra, caracteriza sua música como “Hollywood Sadcore”. Umas das grandes discussões sobre a ascensão meteórica de Lana é o fato da aparência dela contribuir tanto para seu sucesso e muitos se perguntam até que ponto vai o talento dela e até que ponto uma boa produção a ajudou a conseguir destaque tão rapidamente. É inegável que ela possui uma linda e poderosa voz, mas suas apresentações ao vivo ainda deixam muito a desejar, vide a desastrosa participação no SNL.

Lana está em busca do seu espaço entre as novas divas do pop, mas ainda tem que responder qual o seu papel dentro deste universo e qual será seu maior destaque e mérito nessa briga. Born to Die, seu primeiro disco, saiu dia 30 de Janeiro e foi o mais vendido da semana em onze países, já concretizando seu sucesso em 2012.

Folk

Desde os anos 60, não se via uma explosão tão grande da música Folk como a que está acontecendo agora..Ao longo do tempo, o Folk foi se modificando e ficando cada vez mais contemporâneo e com uma cara mais urbana. O estilo vem adquirindo desde 2008/2009 um grande destaque na mídia, que começou com a onda Folk Inglesa, de onde vale a pena destacar, entre seus muitos nomes, Mumford and Sons, Laura Marling e Noah and The Whale como bandas que atravessaram a hype da época e que se mantém cada vez mais firme nos dias de hoje.

Já em 2011, o Folk esteve sob os holofotes com Justin Vernon e seu Bon Iver, que está concorreu a nada menos que quatro categorias no Grammy com um disco que foi um dos mais elogiados do ano, levando o prêmio em duas delas, a de Melhor Novo Artista e Melhor Álbum de Música Alternativa. Na mesma época, também saiu um disco tributo ao grande mestre do Folk, Bob Dylan, aumentando a exposição e resgatando as raízes do gênero, o que apenas traz mais força a ele em 2012.

Com toda a nova força que o gênero ganhou, seus “filhos” estão cada vez mais rumo ao estrelato. Um dos maiores exemplos disso é o Neo-Folk, que foi outro sucesso arrebatador em 2011, com Merril Garbus e seu tUnE-yArDs presentes em muitas listas de melhores do ano, provando que o estilo consegue se reinventar e se ramificar em diferentes vertentes.

Não é só lá fora que temos um bom Folk: o território nacional tem revelado uma série de bandas que resgataram o estilo e estão em um movimento de resistência contra a música datada. Vanguart, que é considerado com um dos padrinhos dessa nova onda Folk no Brasil, lançou em 2011 seu segundo álbum e expande cada vez mais seu som. Podemos citar também novos nomes desse cenário efervescente: The Outside Dog, Tiago Iorc e Phillipe Long.

Mas por que o Folk é nossa aposta para 2012? Este é o ano que marca a volta triunfante do Mumford and Sons com seu segundo disco, dessa vez com o que eles chamam de Doom Folk. Além disso, temos uma safra de nomes que já começaram a fazer um certo burburinho e que prometem muito para os próximos meses. The Revival Hour, Dry The River e Jamie N Commons são alguns dos que poderão despontar como grandes promessas do ano.

The Maccabees e seu Indie Rock

Enquanto cada vez mais os elementos eletrônicos estão presentes no Rock, os ingleses do The Maccabees resolveram se distanciar disso e voltar para o bom e velho Indie Rock. Given To The Wild foi lançado no começo de janeiro e o clipe de Pelican já mostrava um pouco do que podíamos esperar desse novo disco. Permeados cada vez mais pelo ritmo dos anos 80, eles trazem toda essa aura e energia mesmo sem o uso dos sintetizadores.

A banda, que já está em seu terceiro álbum, traz de volta o old fashion Indie Rock, sem nenhum (ou quase) elemento eletrônico, com até uma certa nostalgia. Conhecidos por serem um grupo que cresce muito entre um álbum e outro, Given To The Wild é o melhor disco da banda, e promete trazer consigo novos artistas dessa nova safra do Indie Rock.

Esse novo trabalho foi produzido por Tim Goldsworthy e Bruno Ellingham (que já trabalharam com LCD Soundsystem e Massive Attack). Em entrevista, a banda diz que suas principais influências durantes as gravações foram The Stone Roses, Kate Bush e David Bowie. Com referências assim, já era de se esperar que o resultado fosse positivo.

Nesta mesma safra, temos uma nova onda do Indie Rock com os garotos do Howler, banda que faz uma mistura entre Garage Rock, Surf Music e o Post Rock dos 90. Eles foram apontados pela NME com a uma das melhores estreias de 2011 e com seu debut America Give Up, que saiu em 16 de Janeiro, com certeza vai estar presentes em muitas listas de melhores do ano, o quinteto já veio ao Brasil para dois shows em fevereiro.

Hold Your Horses! também está nessa “vanguarda retrógrada”. Esses franceses tem um som divertido que flerta com o Pop e com Rock, composto por sete músicos e uma salada musical de resultado incrível. Criada há pouco mais de dois anos, somente em 2011 lançaram seu primeiro EP, para 2012 prometem mais um EP, o trabalho sai em maio.

E no clima de rumores/fofoca/desejo temos também o tão aguardado disco do Modest Mouse. O último trabalho da banda foi um EP em 2009 e estão nos devendo um full album desde 2006. Esperamos que esse ano finalmente saia mais um incrível disco.

A volta dos Hermanos e Rodrigo Amarante

Sem dúvida alguma, a banda mais influente das ultimas décadas no Brasil foi Los Hermanos, criando duas emoções muito distintas nos ouvintes: há quem ame e também quem odeie, mas não há quem os ignore. Isso demonstra o quão importantes e quão significativos eles são para a nossa brasileira. A marca que eles deixaram é percebida em ecos e os frutos nos mais diversos artistas até hoje. Com quatro discos lançados, os cariocas permanecessem em hiato desde 2007.

A banda completa 15 anos em 2012 e, como um presente de aniversário aos fãs, farão uma série de 15 shows nas capitais brasileiras, o que deixou muitos fãs empolgados com um possível retorno definitivo do quarteto. As reuniões anteriores dos Hermanos aconteceram somente pra alguns shows, em 2009 no Just a Fest e em 2010 no SWU. A banda nunca saiu em uma turnê assim depois do anúncio do hiato, aumentando ainda mais as especulações.

Um dos principais motivos alegados quando resolveram dar a pausa foi os projetos paralelos que cada um tinha. Camelo se lançou em carreira solo logo em 2008 com o disco Sou, no mesmo ano que Amarante se juntou com Fabrizio Moretti (The Strokes) para gravar o praiano Little Joy. Equanto isso, Barba e Medina se juntaram para fazer shows comemorativos dos 10 anos de Bloco do Eu Sozinho em 2011.

Quase que denunciando esse hiato em seu derradeiro álbum, 4, os Hermanos deixaram bem clara a fissão que estava acontecendo na banda, com as composições de seus principais escritores evidentemente tomando caminhos distintos. Enquanto Camelo seguia sua linha melancólica e introspectiva, Amarante ia pro clima ensolarado e veraneio, e esse abismo entre os compositores pode ter sido um dos fatores que levou a essa parada do quarteto.

Para 2012, também podemos esperar um disco especial de covers dos Hermanos, a coletânea Re-Trato. O site Musicoteca reuniu mais de 30 artistas que de alguma forma foram influenciados pelos Hermanos, como Wado, Cícero, Nevilton, Tiago Iorc, Pélico e Velhas Virgens, que irão gravar um disco duplo com 30 versões. “Foi feito um levantamento por meio das mídias sociais, para mapearmos as canções favoritas do público” nos contou o produtor Pedro Ferreira, “dessa forma, estabeleci uma lista de opções para os artistas escolherem”.

E Rodrigo Amarante finalmente vai lançar seu disco solo. Segundo Mauricio Valladares, do Ronca Ronca, Amarante deve lançar o álbum em março e conta com a participação de artistas nacionais e internacionais. Com certeza, vai ser um dos discos mais aguardados pela legião de fãs dos Hermanos, que ate agora só viram trabalhos solos do Camelo, e o outro lado da moeda é uma de nossas grandes apostas nesse ano.

4,905 total views, 1 views today

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts