Resenhas

Bona Fortuna – Reviver

Segundo álbum da banda mineira mostra que ela sabe sabe agradar com belos e simples versos mesmo que com um Folk Rock limpinho até demais

 3,366 total views

Ano: 2013
Selo: Independente
# Faixas: 10
Estilos: Folk, Folk Rock, Pop Folk
Duração: 36:06
Nota: 3.0
Produção: Filipe Oliveira
SoundCloud: /playlists/4141300

Com o álbum Reviver, o segundo da Bona Fortuna, a banda mineira deixa evidente seu talento em contar histórias em bonitos versos de palavras simples embaladas por melodias otimistas e uma gostosa pegada Folk Rock.

Ele começa já com sua melhor música, A Solidão. Ela tem um sorriso amarelo com uma certa tensão nas entrelinhas, algo que fica claro no grito processado após o verso “e volto a me render à solidão” perto do final. Meio marchinha popular, meio roqueira, ela tem uma energia única que não se repete ao longo do álbum. Ela serve como introdução ao tema que virá pelo restante das faixas, mas fica a sensação que ela entra logo na abertura como uma maneira de tirá-la logo do caminho, já que tudo fica mais florido a partir da próxima. Sorte de quem der o play.

A dupla que vem a seguir mostra logo nos títulos o tal otimismo que tanto dá cara ao disco: Aprender a Viver e Por Uma Felicidade. Com os timbres bem demarcados, dá para sentir bem a proposta do grupo, que só cresce após a “fofa” Preto e Branco.

É que a sequência seguinte é como uma longa música dividida em três faixas. Começando por Cândido e o Eldorado, ela emenda em O Leviatã e em De Pouco em Pouco. Com um certo aspecto meio teatral, meio circense, nos faz perceber o quanto o álbum foi feito também sendo pensado já nos shows – e deve ficar ainda melhor, imagino.

O Que Ficou Pra Trás vem como um respiro depois de tanta energia e tem uma certa cara de “fim de festa”, mas ela logo dá espaço para Recado, parceria da banda com Phillip Long, que aparece aqui cantando em inglês em uma honrosa participação, criando aí o ápice da obra, que se encerra com Essa Força e uma guitarra esperta acompanhando as vozes.

Para uma obra de Folk Rock com pegada caipira, faltou uma bela dose de sujeira no som. É tudo muito nítido às vezes, muito trabalhadinho, como uma restauração muito clara em uma peça que por si só poderia ser mais rústica, ainda mais com letras que são boas justamente por serem simples, verdadeiras.

Isso não chega a atrapalhar, mas é o tipo de escolha, assim como a energia que só aparece em A Solidão, que poderia ter criado um disco memorável. De qualquer forma, Reviver é um disco feel good que sabe cumprir seu papel nesse aspecto, além de nos dar alguns bons versos que ficam na cabeça após a audição, como “Você é o que errou” (O que Ficou pra Trás) ou “Foram tantos risos e choros, só de alegria não se vive não” (Preto e Branco).

 3,367 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Beirut, Monoclub, The Outside Dog
ARTISTA: Bona Fortuna
MARCADORES: Folk, Folk Rock, Pop Folk

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.