Resenhas

Gossip – A Joyful Noise

Beth Ditto e sua turma tentam se inspirar nos anos 80, mas acabam fazendo uma mera cópia de tudo do Pop daquela década em letras bobas e uma aura exageradamente radiofônica

 3,829 total views

Ano: 2012
Selo: Columbia
# Faixas: 11
Estilos: Pop, Dance
Duração: 44:05
Nota: 1.0
Produção: Brian Higgins
Livraria Cultura: 30012680

A banda que ficou conhecida pelos excessos e extravagâncias, como já era de se esperar, em A Joyful Noise não foge destes dois pontos que fizeram a fama da Gossip. Porém, desta vez o abuso vem pela presença exagerada do Pop – que a banda sempre teve um som radiofônico e dançante, nós já sabíamos, mas ele é posto como o elemento central deste disco, deixando tudo o mais de lado.

O álbum se torna altamente previsível e repetitivo, seguindo inúmeros clichês e caindo em lugares comuns inúmeras vezes. O Indie Rock dançante dos trabalhos anteriores deu lugar a um insosso Pop feito para cair nas graças das rádios e a fórmula que a banda seguia há quatro discos foi se desgastando com o tempo e culminou aqui na falta de euforia e fôlego.

O trio buscou, para este seu quinto trabalho, inspiração na década de 80, tirando muito da sonoridade de divas como Madonna e de bandas que influenciaram a música Pop daquela época, como ABBA. Isso fica evidente em faixas como Casualities Of War, baladinha híbrida dessas duas referências que recorre a vários dos maneirismos e exageros daquele período.

Get A Job é a pior música que a banda já fez em toda sua carreira. Seu primeiro verso é “I’d love to stay and party but I gotta go to work” e, a partir disso, continuam com um Trash Pop impregnado com um ritmo dançante que tenta disfarçar a falta de criatividade ou senso na hora de fazer a letra. A música consegue dizer muito sobre todo o disco e sua estética de “dance sem pensar no que está ouvindo”.

Continuando com as tendências oitentistas, o trio tira muito de sua sonoridade da Disco, que fica escancarada em Move In The Right Direction, música alegre e enérgica que é uma das grandes candidatas a hit. I Won’t Play vai em direção ao Synthpop, mais uma vez com pretensão de ser uma música dançante e amigável às rádios.

A voz de Beth Ditto continua impecável e única, mas se esse é o único ponto a se ressaltar do disco, quer dizer que ele deixa muito a desejar. Esse novo som do Gossip me soa como um grande plágio hora de si mesmo, hora de tudo que vem sido feito no mundo Pop descartável.

 3,830 total views

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts