Resenhas

Holograms – Forever

Visceral, enérgico e violento, segundo disco da banda sueca consegue transmitir em acordes rápidos, impeto e atitude Punk de antigamente

 2,636 total views

Ano: 2013
Selo: Captured Tracks
# Faixas: 10
Estilos: Punk, Surf Rock
Duração: 40:00
Nota: 4.0
Produção: Holograms

Forever deveria ter escrito em sua capa renascentista, “favor escutá-lo longe de aglomerações”. Sua raiva visceral faz surgir ideias e instintos outrora esquecidos neste ótima continuação para o disco de estreía do grupo, Holograms. Vindos da gelada Estocolmo, estes suecos não parecem se importam muito em criar faixas que misturam instrumentais selvagens com uma voz grave, bem Punk Londrino da década de 70 e exarcebar violência, algo que certamente deve ocorrer em shows do grupo.

Em entrevistas concedidas no momento que o Holograms despontava para o mundo era comum escutar a seguinte frase para explicar a crueldade real que a banda passa: “todos os membros são muito pobres no momento”. Qual espirito mais Punk do que esse? Justificar a sua existência através da música e de forma brutal. Pesado mas compreensível, o grupo transita entre o próprio estilo e o Surf Rock, gêneros coincidentes e com a mesma atitude. O último que voltou a ter relevância com The Drums e Surfer Blood, parece encontrar uma nova expressão quando é criado por estes jovens suecos.

Esteja em alta velocidade quando escutar a “calma” Meditations ou a excelente faixa de abertura, A Sacred State. Ambas combinam com um rolê de skate pela cidade. Aliás o esporte parece se ligar perfeitamente ao som do grupo ao alternar entre a ferocidade de músicas como Fresh and Blood e baladas compostas no feeling do vocal como Attestuspa. Talvez este lado um pouco mais devagar seja o grande diferencial entre ambos os discos mas tampouco mostra-se ruim ou errado, e somente uma maior amadurecimento da banda

No entanto, não se esqueça que aqui são os bate-cabeças que movem estes pobres garotos. Luminous parece um transe de socos e pontapés, sempre olhando para baixo para evitar uma cotovelada mal intencionada. Tanta energia pode ser muito exigente para o dia a dia e é perfeitamente normal ver se sem ar após as primeiras cinco músicas, por isso que a segunda parte mostra-se um bom complemento para o lado A. Wolves e Laughter Breaks The Silence já trazem um pouco mais de Post Punk misturado ao Surf, um ritmo mais cadenciado mas ainda vibrante.

Diante de tantos grupos que parecem construir a sua imagem a partir de esteriotípos,o Holograms sopra atitude e se vê sem barreiras para fazer um som outrora esquecido, nervoso. A verdade é que Forever é um daqueles discos que te põe em movimento e por isso que escutá-lo ou enclausurado em seu quarto ou no aperto dos já cheios tranportes públicos, com certeza será um tiro no pé. A Blaze On The Hillside, melhor faixa da obra poderia acompanhar outra frase: “saia pra correr, pular num show ou andar de skate, mas nunca escute estes suecos parado. Nunca”.

 2,637 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Iceage, Sex Pistols, Wavves
ARTISTA: Holograms
MARCADORES: Ouça, Punk, Surf Rock

Autor:

Economista musical, viciado em games, filmes, astrofísica e arte em geral.