Resenhas

Mavis Staples – One True Vine

Com produção e parceria de Jeff Tweedy, do Wilco, disco se mostra ambicioso e uma das grandes obras do ano até agora

 2,942 total views

Ano: 2013
Selo: Anti
# Faixas: 10
Estilos: Gospel, Soul, R&B
Duração: 34:51
Nota: 5.0
Produção: Jeff Tweedy
SoundCloud: /tracks/92332535
Itunes: http://clk.tradedoubler.com/click?p=214843&a=2184158&url=https%3A%2F%2Fitunes.apple.com%2Fbr%2Falbum%2Fone-true-vine%2Fid63

Este é o segundo disco que Mavis Staples lança em parceria com o vocalista e mastermind do Wilco, Mr. Jeff Tweedy. Em 2010, a dupla soltou You Are Not Alone, com um surpreendente resultado, acenando para um novo horizonte musical tanto para Mavis, que via sua carreira totalmente revitalizada, como para Jeff, encontrando a chance de escapulir sutilmente do limitado universo criativo do Indie Rock. Ao longo das décadas de 1960 e 1970, Mavis foi a cantora principal dos Staple Singers, grupo lendário da gravadora Stax, responsável pelo hit I’ll Take You There e por aparição lendária no filme The Last Waltz, sobre a despedida da Band, no qual os Staple aparecem dividindo as responsabilidades vocais no hit The Weight. Mavis sempre teve uma carreira discreta, algo que continua até hoje.

One True Vine repete a fórmula do antecessor em termos estruturais, ou seja, a produção de Tweedy proporciona liberdade para Mavis explorar sua voz, cheia de sutilezas que vão muito além da potência em meio a uma base instrumental que, longe de ser minimalista ou “esparsa”, também não interfere no resultado. Além da escolha das canções oscilar entre covers maravilhosos e inéditos do próprio Tweedy e do clima gospel implícito, o resultado de One True Vine nunca o condiciona a ser rotulado dessa forma. O que temos é um trabalho, digamos, espiritual, no qual a religião é tratada como uma espécie de alívio do cotidiano, inserida nele, nunca interrompendo-o ou aspirando ser maior ou mais importante. A partir desse conceito, o disco comporta canções de procedências múltiplas e logo vem uma pequena pepita do Funkadelic, chamada Can You Get To That, sublime e contida. Além dela, Mavis faz um Country fantasmagórico de Holy Ghost, canção do novo disco do Low e entrega uma interpretação belíssima para Far Celestial Shore, canção inédita de Nick Lowe.

Tweedy parece tão envolvido com o trabalho que, além de produzir e assumir o baixo, também aproxima seu filho Spencer para a bateria e fornece outras três canções para o disco, a melhor delas, Every Step, está entre as melhores coisas que ele já fez. Mavis também dá novas cores a obras de domínio público, Sow Good Memories e What Are They Doing In Heaven Today, para arremeter sobre I Like The Things About Me, do seu antigo grupo. Nesta nova versão, Mavis faz, além de sua antiga parte, o vocal principal, a cargo de Pops Staples no original.

One True Vine é um dos grandes discos de 2013, belo, pungente, cheio de pedigree e voltado para um objetivo ambicioso com aura de simplicidade: fazer música que transcenda este plano em que vivemos, para que, ainda assim, nos acompanhe o tempo todo. Não é fácil mas Mavis e Jeff Tweedy chegaram lá. Para as listas de melhores do ano, já.

Mavis Staples- Can You Get To That

 2,943 total views

Autor:

Carioca, rubro-negro, jornalista e historiador. Acha que o mundo acabou no meio da década de 1990 e ninguém notou. Escreve sobre música e cultura pop em geral. É fã de música de verdade, feita por gente de verdade e acredita que as porradas da vida são essenciais para a arte.