Japandroids - Near To The Wild Heart Of Life

Japandroids - Near To The Wild Heart Of Life
  • Ano: 2017
  • Selo: Anti
  • Produção: Japandroids, Peter Katis
  • # Faixas: 8
  • Estilos: Indie Rock, Emo Revival, Garage Rock
  • Duração: 36:46
BBBba

A escritora Clarice Lispector, em seu livro de estreia Perto do Coração Selvagem, colocava sua personagem protagonista em uma espécie de fenda existencial, vivendo em uma ruptura na fusão temporal entre presente e passado. São setenta anos de diferença entre o nascimento da obra de Lispector e do novo álbum da banda canadense Japandroids, intitulado Near To The Wild Heart Of Life; e, por mais que influência da escritora sobre a dupla tenha vindo como uma tentativa de refinar o que até então se apresentava como Rock em estado bruto, imprimindo narratividade e nuances climáticas em suas letras, parece, na verdade, ter imprimido seu dilema existencial no espírito da dupla: o de como encarar o passado como uma possibilidade de renascimento no presente.

A faixa de abertura homônima, que explode como um exemplar atemporal do que foi o Hardcore melódico dos anos 90, nos diz “The future is under fire, the past is gaining ground, a continuous cold war between my home and my hometown”. A “casa”, nesse sentido, é uma metáfora para o presente, o lugar em que nos encontramos, o contexto atual de nossas vidas. A “cidade natal”, por sua vez, é o passado, um idílio nostálgico de onde viemos, no qual aprendemos a ser quem somos.

Não por acaso, o tema da cidade natal parece ser um refúgio recorrente para o Emo de raiz, um lugar idealizado que une duas instâncias de quem somos hoje: é, ao mesmo tempo, uma época mágica na qual “éramos felizes e não sabíamos” e também o nascimento de todas as nossas angústias adolescentes. A década de 2010 é, também, o momento de renascimento do Rock norte-americano que se consagrou nos anos 90, seja no que conhecíamos como Rock Alternativo, Hardcore ou Emo. Tomemos como exemplo o ressurgimento de Teenage Fanclub ou de American Football (uma banda que olha insistemente para a cidade natal como fonte de inspiração). Tendo isso em mente, acompanhar a transição de Japandrois ao longo de sua carreira é presenciar a transformação de algo que era novo, sem história, mas calcado em uma espécie de nostalgia musical, para uma banda que já tem o seu próprio passado, e precisa olhar para ele.

A carreira de Japandroids ao longo de seus dois primeiros álbuns (Post-Nothing e Celebration Rock) parece ter sido balizada na tentativa de recriar a potência de uma apresentação garageira, sob a simplicidade de uma apresentação ao vivo. Após tal empreitada bem sucedida, a banda agora muda de rumo, apostando em mais instrumentos e no caos controlado da sua sonoridade - característica melhor exemplificada pela faixa Arc of Bar, que ultrapassa os sete minutos de duração.

Por isso, evoluir, para Japandroids, significa retroceder ao passado. Olhando para o que já foi, a banda foi capaz de reinventar sua sonoridade, soando mais existencial, e madura, sem abandonar quem é.

(Near To The Wild Heart Of Life em uma música: Near To The Wild Heart Of Life)

Bom para quem ouve: Cymbals Eat Guitars , Superchunk , Cloud Nothings

Artista: Japandroids

Marcadores: Emo Revival, Garage Rock, Indie Rock