A$AP Mob – Cozy Tapes Vol.1 Friends

Primeiro lançamento do coletivo homenageia o Trap que estabeleceu seus líderes como figuras respeitas na indústria da música

1,164 total views, 2 views today

Ano: 2016
Selo: ASAP Worldwide; Polo Grounds; RCA
# Faixas: 12
Estilos: Hip Hop, Trap
Duração: 43:32
Nota: 3.0
Produção: Cardo; Crazy Mike; Dun Deal; DJ Smokey; Hector Delgado; Juicy J; Lil Awree; Maaly Raw; Plu2o; Nash; Wavy Wallace

Existe um certo fetichismo com coletivos e grupos de Rap. Muito pelo histórico de grandes bandas do estilo como De La Soul, A Tribe Called Quest e Wu-Tang Clan, a presença e a ideia de diversos rappers dividindo o microfone e palco empolgam. Se anteriormente o formato de banda proporcionava uma certa unidade intrínseca aos grupos com a proposta de se criar obras que trouxessem coesão e uma imagem estática daqueles rappers, atualmente o formato serve mais como laboratório e exposição de novos nomes. Wolf Gang, por exemplo, serviu de experimento para que nomes como Tyler, The Creator, Frank Ocean e Earl Sweatshirt despontassem. A$AP Mob serve aos mesmos propósitos, apesar de já chegar estabelecido com seu primeiro disco, Cozy Tapes Vol.1: Friends.

Basicamente, o título já diz muito sobre o que esperar do disco: uma coleção de faixas feitas por amigos e com participação de outros colegas, como BJ Chicago Kid, Wiz Khalifa e Tyler. Já capitaneado por singles como a viciante Yamborghini High (com Juicy J), Crazy Brazy, Runner e Telephone Calls, o trabalho traz alguns outros bons momentos, na sua maioria conduzidos por A$AP Rocky. A$AP Ferg, outro membro do Mob, aparece infelizmente em só um momento, Young Nigga Living, uma das melhores faixas disco – A$AP Ant e A$AP Twelvyy batalham entre si para chamar a atenção em rimas boas em Runner ou London Town, porém sem tanta inventividade.

Isso acontece porque o disco é basicamente Trap Rap, estilo que Rocky e Ferg dominam e espalham mundo afora. Nesse sentido, Cozy Tapes traz boas faixas do gênero, mas que, sem a presença de ambos, não possuem tanto sentido porque acabam soando quase como plágios estilísticos. Nesse sentido, A$AP Mob possui sentido como unidade a uma expressão musical idiossincrática de seus líderes – se colocado sob a perspectiva de moda e estilo de vida conduzido pelos artistas, torna-se ainda mais relevante. No entanto, é inevitável pensar que, tirando os singles lançados anteriormente, a maioria das composições não estariam dentro dos últimos discos dos mesmos.

A única exceção que consegue fugir de tais estigmas é A$AP Nast em Nasty’s World – a curta, porém ótima, música traz um rapper com timbre e rimas dos anos 1990 e não tem, por incrível que pareça, vestígios de Trap Rap. O estilo, bastante disseminado por Rocky e Ferg continua entre os mais populares dentro do Hip Hop e produções pipocam na Internet seguindo normas e formatos propostos por ambos. Obviamente existem outros nomes que o abraçam, como Yung Thug e 2 Chainz, no entanto, pensando como produtos prontos, os dois rappers do A$AP Mob ainda despontam referências criativas.

Em Cozy Tapes, isso é deixado um pouco de lado para que amizades sejam celebradas, o que por fim entrega algumas faixas que serão ouvidas sob muita fumaça, batidas chapadas sem tanta inventividade e que, mesmo assim, divertem. Logo, ao ser pensado como coletânea, o disco soa como uma coleção bastante decente de Trap Rap em 2016, mas deixa um gosto amargo à espera dos próximos volumes para que coisas novas realmente surjam do coletivo.

(Cozy Tapes Vol.1: Friends em uma música: Yamborghini High)

1,165 total views, 3 views today

BOM PARA QUEM OUVE: Drake, Tyler, The Creator, A$AP Rocky
ARTISTA: A$AP Mob
MARCADORES: Hip Hop, Trap

Autor:

Economista musical, viciado em games, filmes, astrofísica e arte em geral.