Resenhas

Cosmo Sheldrake – Pelicans We EP

Primeiro lançamento do multi-instrumentista mostra seu universo particular repleto de originalidade

 1,948 total views

Ano: 2015
Selo: Independente
# Faixas: 4
Estilos: Rock Alternativo, Eletrônica, Folk Experimental
Duração: 15:32
Nota: 3.5
Produção: Cosmo Sheldrake

Cosmo Sheldrake é mais um dos fenômenos que o YouTube consegue criar ao simplesmente abrir espaço para alguém divulgar a sua arte performática. Já falamos sobre ele em nossa coluna Ouça e assistir um dos vídeos do jovem multi-instrumentista é na verdade uma viagem no tempo anacrônica: parecemos estar no campo e na Idade Média ao mesmo tempo em que o produtor toca instrumentos diversos vindo tanto do passado quanto do futuro. Talvez por isso o choque inicial entre seus milhares de espectadores – de onde saiu esse sujeito?

No entanto, o músico é mais do que somente alguns vídeos impressionantes na Internet, ele é um verdadeiro íntérprete de suas ideias. Para chegar ao consenso sobre a sua sonoridade, partiríamos da Música Eletrônica, do Folk Experimental e do Rock Alternativo. Na verdade, é um ato mais rústico e ainda mais original que Alt-J que parece se comunicar com o ouvinte de uma forma folclórica e cultural bastante única. É isso que percebemos ao longo de seu primeiro lançamento, o EP Pelicans We.

Seus poucos quinze minutos divididos em quatro músicas mostram todo o potencial do fenômeno real: suas faixas tem diversas texturas, instrumentos e inspirações. Passam de um Folk com batidas eletrônicas sendo conduzidas por um banjo tocado na divertida The Fly, até um pouco de Rock Alternativo fora de contexto e pouco usual de Tardigrade Song, que mostram Cosmo como uma das vozes mais singulares da atualidade. O folclore nos convida para outro momento da história ao mesmo tempo em que parece emanar contos e relatos ficticios: Tardigrade Song poderia facilmente estar presente em algum filme inspirado nas obras de J.R.R Tolkien.

Pelicans We segue toda atmosfera criada em seus vídeos com uma mistura de percussões globais (África e Índia) com vozes de animais (cabras e porcos), no entanto, se tal combinação parece extremamente estranha, ouvi-la pela primeira mostra-se na verdade uma grande viagem e um deleite. É a trilha-sonora para os contos e histórias particulares do produtor londrino e seu momento mais universal aparece na excelente Rich com Anndreyah Vargas (com um vídeo abaixo auto-explicativo).

A faixa mostra o lado mais Pop do produtor, mesmo que este gênero seja sempre de certa forma conectado ao excentrismo de Cosmo em batidas, shots de voz e uma deliciosa música para se dançar em uma festa sem vergonha alguma. É na verdade a versão particular de Sheldrake para o que seria o Hip Hop no tempo e no espaço que o londrino vive. Logo, Pelicans We é um ótimo cartão de visitas para o produtor que ainda consegue superar muito dos problemas atuais ao conseguir não só produzir faixas cheias de elementos diversos, mas também conseguir apresentá-las de forma rica e interessante. Para se manter os olhos e ouvidos atentos, sem dúvidas.

 1,949 total views

Autor:

Economista musical, viciado em games, filmes, astrofísica e arte em geral.