Resenhas

Hope Sandoval & The Warm Inventions – Until The Hunter

Álbum constrói-se de modo tranquilo, apoiando-se no Folk

1,582 total views, no views today

Ano: 2016
Selo: Tendril Tales
# Faixas: 11
Estilos: Folk Alternativo, Indie, Americana
Duração: 58:56
Nota: 3.0

A artista norte-americana Hope Sandoval possui um ritmo de trabalho bastante particular. Sete anos separam Until The Hunter, o novo trabalho da banda Hope Sandoval & the Warm Inventions, de seu antecessor, Through the Devil Softly. Outra banda de Sandoval, chamada Mazzy Star, por sua vez, viu um intervalo de 18 anos entre seus últimos lançamentos. Tal processo, no qual um trabalho fermenta lentamente até finalmente nascer, pode ser percebido sintomaticamente nas canções presentes aqui.

A primeira faixa, Into the Trees, parece narrar a aventura de alguém que embrenha-se em uma mata fechada. Nove minutos decorrem, e instauram um clima hipnótico graças a uma sonoridade nublada que remetem àquela construída por Pink Floyd no início de sua carreira. Let Me Get There, ponto alto do disco, é a mais litorânea entre as suas, conta com a participação de Kurt Vile (evocando seu excelente b’lieve i’m goin down), e digressa por mais de sete minutos de duração. Treasure, por sua vez, chega perto dos seis minutos e une o estilo aerado de cantar de Nouvelle Vague com a amplitude reverberada do Chamber Folk.

Until The Hunter constrói-se, afinal, de modo plácido, tranqüilo e demoradamente. É um álbum que parece relaxar enquanto afunda-se em areia movediça e, por isso mesmo, às vezes soa sutil e delicado, e em outras ocasiões arrasta-se monocórdico, sufocando a audição para além de onde parecia ser o ponto ideal.

(Until The Hunter em uma música: Let Me Get There)

1,583 total views, 1 views today

Autor:

Discreto e silencioso. Falo pouco, ouço bem, porém.