Resenhas

Jerry David DeCicca – Understanding Land

Líder de Black Swans grava álbum solo contemplativo e belo

 1,185 total views

Ano: 2014
Selo: Virtual Label
# Faixas: 10
Estilos: Folk, Folk Rock
Duração: 37:18min
Nota: 3.5
Produção: Jerry DeCicca

Existe diferença significativa entre trovadores Folk do passado, principalmente [Bob Dylan](https://monkeybuzz.com.br/artistas/bob-dylan/], e gente que segue por esse caminho nos últimos tempos. Sai aquele espírito desbravador de uma América mitológica, além dos grandes centros mas que não era capaz de conhecer nada mais que eles e vem pra campo uma turma de gente que frequenta justamente os locais menos badalados dos Estados Unidos, e que não vai tentar a vida ou construir carreira em Nova York ou Los Angeles. No caso de Jerry DeCicca, nativo de Columbus, Ohio, estado próximo à Costa Leste, espremido entre os Grandes Lagos e a Pensivânia, a regra se mantém intacta. Conhecido pela presença constante no grupo Black Swans, ele pertence ao mesmo grupo de gente como Will Oldham e Bonnie Prince Billy, gente de hoje, tocando música de hoje, com moldura e tradição de ontem. Ou quase isso.

DeCicca esteve à frente de Black Swans por mais de uma década. Com Noel Sayre e Canaan Faulkner, seus principais parceiros de banda, construiu uma marca sonora triste, folkster, mas com noção de que não precisaria mastigar tabaco ou ostentar um capim entre os dentes para ganhar respeito. Também não precisaria abrir mão de guitarras. Após a morte de Sayre, o grupo manteve-se como projeto principal de DeCicca, que resolveu ir para a carreira solo agora, seis anos após a perda do parceiro. Ele compôs as dez canções do disco em turnê, chamou amigos para participações, entre eles, Kelley Deal (Breeders, o próprio Will Oldham e o veteraníssimo e venerável organista Spooner Oldham, com passagens marcantes por faixas de Dan Penn, Neil Young e Bob Dylan. Todas essas participações foram gravadas sem que os músicos se encontrassem em estúdio, sendo mixadas ao trabalho principal de DeCicca por Stuart Sikes.

O que se ouve são mais desmembramentos desse Folk urbano e triste, eminentemente acústico, mas que não abre mão da presença de outros instrumentos no estúdio, evitando a reincidência do formato voz/violão. A abertura com Before The Storm, otimista e triste ao mesmo tempo, define bem a proposta de Jerry. O instrumental tem importante presença de pianos elétricos, guitarra lânguida e bateria/percussão econômica. A impressão que logo surge é a de um pintor, que acrescenta camadas de tinta de acordo com uma percepção própria e intransferível. 29h Of June é uma canção sobre ecologia, com discreta guitarra e ambiência menos lânguida que a anterior, capaz de causar contrastes marcantes, porém sutis, como entender a diferença entre estar solitário e ser sozinho. A beleza chuvosa de Colors In The Sky traz um amálgama de cordas e metais para conferir leveza e possibilidade de arco-íris em pouco tempo, além dos vocais discretos de Kelley Deal.

Outras belas canções surgem no caminho, com destaque para Opportunity To Love, cheia de pianos e guitarras com cara de noite mal dormida, cantada com sua namorada, Eve Searls e o clima de passeio no parque no domingo de manhã que é First And Last, com construção clássica se equilibrando entre Folk e Country e com os os vocais pouco ortodoxos de Will Oldham.

O primeiro álbum solo de DeCicca é muito próximo do que fazia com sua banda, mas traz uma proposta de abandonar qualquer vestígio de energia Rock em favor de um belo, lento e contemplativo Folk moderno.

 1,186 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Jayhawks, Ray Lamontagne, Mark Lanegan
MARCADORES: Folk, Folk Rock

Autor:

Carioca, rubro-negro, jornalista e historiador. Acha que o mundo acabou no meio da década de 1990 e ninguém notou. Escreve sobre música e cultura pop em geral. É fã de música de verdade, feita por gente de verdade e acredita que as porradas da vida são essenciais para a arte.