Resenhas

João Capdeville – Pausa

Músico carioca mostra sua personalidade e violão em EP de estreia alinhado ao som contemporâneo

3,144 total views, 1 views today

Ano: 2014
Selo: Independente
# Faixas: 5
Estilos: MPB, Pop Folk, Indie
Duração: 19'
Nota: 3.5
Produção: Diogo Strausz

Já devo ter comentado por aqui algumas vezes da alegria que é quando chega algo animador e cativante por email – sim, nós damos aquela olhada em quase tudo ou pelo menos boa parte do que chega aqui. Foi o caso do carioca João Capdeville, que mostra sua poesia e personalidade em seu primeiro EP, Pausa, um disco que teve seu valor denunciado já na primeira audição.

São quatro canções e uma faixa instrumental (a que batiza e encerra o disco) com uma sonoridade contemporânea dos estilos essencialmente brasileiros, composições construídas principalmente no violão para amparar sua poesia de cunho pessoal e, de maneira geral, melancólica.

Dá impressão de que as letras são escritas como reações negativas às situações que lhe inspiraram (“Sorrisos vem e vão, mas nunca hão de ficar” em Lembra?, “Não venha me dizer que eu não sei, não venha me falar que eu não vi” em Da Razão, “Meu amor, não sofro mais por dizer que tanto faz” em O Mundo Vai Girar e “Nem tente me chamar que eu não vou” em Sua Vitória, por exemplo). Não se trata, porém, de um disco depressivo, mesmo sem deixar em momento algum de ser emotivo.

Seu timbre vocal é sempre muito agradável (chega a lembrar de leve Marcelo Camelo em algumas notas) e ele interpreta as canções sem exageros. Parece haver uma certa timidez às vezes, mas é o tipo de coisa que se espera em um trabalho de estreia, ainda mais no risco de fazer algo que, por mais alinhado que esteja com a estética de seu tempo, o faz em um meio “alternativo”, com uma aceitação diferente das obras massificadas.

Espero que Pausa surte o mesmo efeito em você do que aquele que me causou quando abri o email e nos dias seguintes, quando ouvi para resenhá-lo. Fiquemos de olho no garoto, ele tem bastante a oferecer.

3,145 total views, 2 views today

BOM PARA QUEM OUVE: César Lacerda, Cícero, Pélico
MARCADORES: Folk Pop, Indie, MPB

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.