Resenhas

Taken By Trees – Other Worlds

A viagem ao Hawaii foi o pretexto fundamental para a criação de um disco praiano agradável, desacelerado e letárgico

1,389 total views, no views today

Ano: 2012
Selo: Secretly Canadian
# Faixas: 12
Estilos: Surf Music, Surf Pop, Dream Pop
Duração: 41:25
Nota: 3.0

Victoria Bergsman é uma pessoa muito intuitiva e cada um de seus discos solo diz muito sobre o momento em que ela tem vivido ou outro que foi marcante para ela. Positivamente ou não, é assim que Taken By Trees trilha sua rota dentro da música, através de sensações e arranjos recheados de significados altamente pessoais.

O álbum traz como memória afetiva uma recente viagem da cantora ao Hawaii, contexto esse que revela todo o trâmite e sonoridade envolvida no terceiro lançamento de Victoria. Com timbres eletrônicos que remetem à maresia, devido a variação de altos e baixos, com influências da Surf Music e recheada de guitarras havaianas, xilofones e marimbas do começo ao fim. Os vocais leves em alguns momentos quase passam desapercebidos, aparentando que o disco é uma compilação musical para um final de tarde à beira mar.

A percussão inclusa no material inédito soa totalmente orgânica, tendo momentos em que apenas palmas são suficientes para ritmar toda uma faixa. A inserção de sintetizadores metalizados dão o diferencial e é o mais próximo de ritmos plenamente eletrônicos vistos por aqui, já que sua presença é também muito sutil e quase sempre relativa ao ritmo praiano emplacado desde a versão inicial.

O verão animado e efusivo encontrado na maioria de discos voltados a essa temática batem de frente com o ideal de Bergsman nesse trabalho, que apresenta vasta letargia e total relação com a ressaca do mar, um trabalho leve e um tantor recomendado para momentos de relaxamento e audições sem a pretensão de ser ouvida com plena atenção. Fechando os olhos é possível vestir os chinelos, colocar os fones de ouvido, aproveitar o passeio na orla e a brisa quente do litoral.

1,390 total views, 1 views today

Autor:

Jornalista por formação, fotógrafo sazonal e aventureiro no design gráfico.