Resenhas

Eternal Summers – Correct Behavior

Maduro e sem exageros, o segundo disco da banda faz um apanhado dos anos 80 cheio de guitarras distorcidas e melodias Pop

1,386 total views, no views today

Ano: 2012
Selo: Kanine Records
# Faixas: 10
Estilos: Noise Pop, Lo-Fi, Post-Punk
Duração: 32:00
Nota: 3.5

Correct Behavior é o segundo disco de uma dupla que virou um trio pouco tempo antes de gravá-lo, então é claro que há uma boa diferença entre seus dois registros. Este é mais maduro e preciso que seu antecessor, sem pecar nos exageros, mas também perdendo um tanto de espontaneidade. Com um membro a mais, a Eternal Summers pôde incrementar sua sonoridades, adicionando um baixo à, já conhecida, dupla de bateria e guitarra. Com um misto entre o Post-Punk e Noise, seu som que remete bastante aos anos 80, principalmente à segunda metade da década, quando o Pop começou a ficar mais barulhento e guitarreiro.

Esta mistura não é nada original ou inovadora, mas é muito bem executada pelo trio. Fora isso, as dez faixas passeiam entre diversos estilos daquela década e conseguem manter seu frescor, sem aquele aspecto datado e monótono que se vê em outros tantos trabalhos que remetem à mesma época. Se esses ainda não são bons motivos pra você escutar o disco, saiba que ele é bem divertido. Mesmo não seguindo a linha da dançante faixa de abertura, Millions (música mais ensolarada do trabalho), o disco consegue manter por um bom tempo sua vitalidade e energia.

Mesmo se pautando por estilos como Post-Punk e Noise-Pop, o disco apresenta algumas doses de Dream Pop. Ele fica escondido atrás da distorção, mas está lá, seja nas faixas mais animadinhas, como I Love You, ou nas baladinhas mais calmas, como It’s Easy e Good As You (que quebram bastante o ritmo do disco e o fazem perder muito no quesito animação que vinha com uma boa nota até então). O vocal de Nicole Yun traz bastante desta vibe sonhadora, mostrando uma elasticidade muito grande quando se contrapõe com as faixas mais barulhentas e rápidas que exigem mais dela – exemplo disso é Heaven and Hell (a melhor do álbum, em minha opinião).

Correct Behavior tem um pequeno problema de continuidade. As faixas vão perdendo a energia quando se aproximam do fim do disco e se tornam bem desanimadas nessa fase. A parte instrumental continua impecável, assim como o vocal de Yun, mas essa queda brusca faz com que o ouvinte se perca e se pergunte o que aconteceu com aquela banda que fazia as primeiras músicas.

Esse é mais um daqueles álbuns que chamamos de “igual, mas diferente”. Não há nada de novo, mas a forma com que foi executado e o frescor que a banda impõe são tão grandes que faz sua audição valer a pena. Mesmo perdendo a energia em seu decorrer, o disco apresenta ótimas músicas que ficarão no currículo da banda, mas não na cabeça das pessoas.

1,387 total views, no views today

BOM PARA QUEM OUVE: La Sera, Japandroids, Grass Widow
MARCADORES: Lo-Fi, Noise Pop, Post-Punk

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts