Resenhas

Law – Cowboys & Hustlers

Cantora escocesa volta em novo compacto com seu R&B Experimental, mas sem faixas que empolguem

 1,233 total views

Ano: 2014
# Faixas: 6
Estilos: Experimental, Alt-R&B, Trip Hop
Duração: 17:37
Nota: 2.0

Fugir de um formato já existente, buscar novas maneiras de se trabalhar um estilo ou dar uma nova cara para algo que já se conhece há algum tempo – muitos artistas buscam isso através de mesclas, combinações ou pela experimentação. Entretanto, nem sempre o resultado acaba saindo conforme o esperado, seja para o artista ou para o ouvinte.

Como já discutido aqui anteriormente, o artista é livre para expressar de sua maneira e isso independe se vai resultar em algo que o ouvinte abrace, compre (em ambos os sentidos da palavra) e sinta. Em Cowboys & Hustlers vemos que LAW buscou retrabalhar o R&B, mas acabou pecando em uma experimentação de descaracterização, transformando o som resultante em algo sem cara, sem face.

Em 17 minutos – e seis faixas – de duração, o novo compacto da cantora de Edimburgo consegue sim passar para nós a sua ideia de concepção artística: um R&B distópico de outrora – dissonante e com um vocal fugindo do suave cadenciante e indo para um vocal “torto” e soturno, e tudo isso com um instrumental que se sobrepõe e se desconstrói enquanto se constrói. A ideia, anteriomente já foi captada, mas infelizmente tal novo trabalho se mostra inferior ao seu antecessor Haters and Gangsters e não se nota diferença entre as seis faixas, o que faz do compacto uma interrogação. É claro que sempre teremos ouvidos para tudo, porém não podemos deixar de comentar aquele ar de reticências onde esperávamos um produto final com mais identidade visto a – até certo ponto – ousadia (no bom sentido da palavra) e talvez um momento inspiracional melhor em outro momento para poder trazer seu som exótico, visto que desde os primeiros sons que lançou, acaba gerando diferentes percepções e avaliações dos mais diferentes gostos e ouvidos.

 1,234 total views

ARTISTA: LAW

Autor:

Marketeiro, baixista, e sempre ouvindo música. Precisa comer toneladas de arroz com feijão para chegar a ser um Thunderbird (mas faz o que pode).