Resenhas

LYZZA – DEFIANCE

Brasileira radicada na Europa transita por sonoridades diversas ao exprimir angústias politizadas

385 total views, no views today

Ano: 2019
Selo: Independente
# Faixas: 6
Estilos: Future-Voguing, Heavy Club, Grime
Duração: 20'
Produção: LYZZA

LYZZA é, na verdade, Lysa da Silva. Ela tem pouco mais de 20 anos de idade, mas a sua história começa verdadeiramente aos 6, quando sua mãe a levou do Brasil para a Europa no intuito de melhorar a condição de vida da família. À medida que o tempo foi passando, a música acabou por se tornar a principal companheira da menina. Nela, LYZZA encontrou espaço para desaguar suas aflições e angústias de maneira única.

Uma das principais características de seu som é a incorporação orgânica de suas diversas raízes culturais. Ela já percorreu cidades como Volta Redonda, Amsterdã e Londres e, ainda assim, sua música parece não se encaixar exatamente em nenhum desses lugares. Tem elementos de todos eles, mas é especial, desafia a banalidade e a convenção dos gêneros musicais. Para LYZZA, separar não faz sentido. Pense em um híbrido entre Funk brasileiro, Grime londrino, Heavy Club e Voguing Music europeu e mais…

No EP IMPOSTER (2018), essa dinâmica já estava presente e um aspecto político para sua música também se delineava. Agora, em seu novo registro, DEFIANCE, a observação muda de foco: ao mesmo tempo em que as questões sociais continuam marcando seu trabalho, elas partem de uma postura mais aberta à descoberta de fragilidades e angústias de uma pessoa, em contrapartida, tão forte quanto a artista. Ao mesmo tempo em que o disco parece ser sobre a luta de LYZZA em se afirmar como mulher no mercado de música e, por isso, passar por temas cortantes como gênero, sexualidade e imposições culturais, o LP tem uma sonoridade menos agressiva que seus antecessores. É uma mistura inteligente de pungência e delicadeza: quase como em um processo de análise no qual a artista reencontra tópicos duros e não os reprime, os ressignifica.

A riqueza de LYZZA começa com “The 1.0”, um reverberado e acelerado beat que traz uma roupagem Voguing futurista, abusando de bumbos presentes e metralhantes. “Oblique”, por sua vez, sugere percussões do Funk carioca, porém fusionadas com tambores típicos de torcidas de futebol americano. “Hellraiser XXX” é frenética na batida, mas a parte melódica dos sintetizadores tem um toque de Ambient Music elétrico. Joe Goddard (Hot Chip) dá as caras nesse EP, co-produzindo a percussiva e hipnótica “Neverland”, a faixa-refúgio do disco. Por fim, “+00 Burner Call” usa de cortes bruscos para oscilar entre humores diferentes, da calmaria Downtempo ao Trap nervoso.

Voguing-Futurista, Marching Funk, Ambient Elétrico, Trap Downtempo são algumas das tentativas de tentar nomear as expressões sonoras de LYZZA, mas talvez isso seja algo que fuja de sua proposta. Parece-nos que a produtora não tem a ambição de definir-se, mas sim de transitar por entre as ideias. Assim, DEFIANCE mostra uma parcela de um árduo trabalho de pesquisa musical, sonora e de investigação psíquica para LYZZA. Tudo isso em menos de 20 minutos.

(DEFIANCE em uma faixa: “Hellraiser XXX”)

386 total views, 1 views today

ARTISTA: LYZZA

Autor:

Designer frustrado, julgador de capas de discos e odiador daqueles que põem o feijão antes do arroz.