Matthew Dear – Bunny

Novo álbum salta em diversas referências da Música Eletrônica

294 total views, 4 views today

Ano: 2018
Selo: Ghostly International
# Faixas: 14
Estilos: Eletrônico, Electropop, Tech House
Duração: 62
Nota: 3.0
Produção: Matthew Dear

O produtor texano Matthew Dear, que também gosta do apelido King Chameleon, se aproxima dos quarenta anos de idade e vem atuando já há quinze em sua carreira solo dentro da Música Eletrônica. Se prestarmos atenção na alcunha que deu para si mesmo, veremos que, em toda essa trajetória, uma característica se sobressai em sua personalidade: a facilidade de mudar de assuntos, estéticas e abordagens, fazendo de cada trabalho um catálogo de referências para um universo que se expande além do seu. Bunny, o álbum da vez, não foge a essa regra.

Não se engane pela capa. Bunny possui uma viscosidade, que se dá pelos timbres pesados e pelas afetações vocais que o artista gosta de experimentar. É essa energia que “gruda” as faixas umas às outras, embora cada uma pareça apontar para uma direção diferente. É possível, por exemplo, detectar algumas raízes góticas vindas de Gary Numan (Can You Rush Them), viajar pelos anos 90 com a influência de Fatboy Slim (What You Don’t Know) e também apreciar ares mais contemporâneos de Neo-Soul que existem, digamos, em Jungle (Modafinil Blues).

Ou seja, Bunny é intempestivo, gosta de saltar pra lá e pra cá dentro da história da Música Eletrônica. Esse trabalho é como uma demonstração das capacidades de Dear enquanto produtor, já que seu lado compositor deixa um pouco a desejar nas letras carregadas de clichês e exageros. Dear não possui uma identidade muito distinta, aquele traço que vai fazer dele um porta-voz para um gênero musical específico. Esse nem é, evidentemente, seu interesse. No entanto, no que diz respeito à camadas instrumentais, timbres e criação de “climas” específicos, Bunny parece ser um excelente portfólio que pode te convencer a conhecer a discografia do cara mais à fundo.

(Bunny em uma música: Bunny’s Dream)

295 total views, 5 views today

BOM PARA QUEM OUVE: Gary Numan, Liars, Miike Snow
ARTISTA: Matthew Dear

Autor:

Discreto e silencioso. Falo pouco, ouço bem, porém.