Resenhas

Men I Trust – Untourable Album

Criado sem a intenção de ser apresentado ao vivo, novo disco do grupo canadense imerge na lisergia do Pop e oferece experiência envolvente

 289 total views

Ano: 2021
Selo: Independente
# Faixas: 13
Estilos: Dream Pop, Trip Hop, Bedroom Pop
Duração: 36'
Produção: Men I Trust

Men I Trust carrega uma herança remanescente dos anos 1980, quando o Indie nascia como uma pseudo-ideologia. A fim de colocar o controle criativo para longe das grandes gravadoras, o grupo canadense se apropriou com força do estilo DIY, não apenas pelo aspecto “cool” de poder mandar as gravadoras irem pastar, mas por enxergar neste modelo uma autonomia muito maior com relação à sua música. Em entrevista para Exclaim!, o grupo comenta como a possibilidade de poder gravar uma música em um dia e lançá-la no dia seguinte, sem a permissão de um selo ou gravadora, é algo indispensável para seu processo criativo. Munidos desta urgência de mostrar o seu trabalho, o grupo se colocou para além de uma banda tímida da cena local, ganhando projeção internacional através de playlists de YouTube e turnês internacionais (das quais o Monkeybuzz tem orgulho de ter participado). Apesar das grandes turnês não estarem acontecendo, o grupo continua produzindo e, desta vez, sua sede DIY, aliada a um espírito experimental ainda mais aflorado, permitiu um ambicioso novo projeto: um disco não planejado para ser divulgado por turnês.

Apesar da realidade atual ser outra e a banda já ter agendado shows com este novo trabalho, esta faísca criativa inicial de Untourable Album é exatamente o que proporcionou ao grupo um olhar diferente para o seu direcionamento artístico. A ideia do novo registro era não se preocupar com a logística de reproduzir este disco ao vivo. Assim, qualquer ideia que tivessem, por mais extravagante que fosse, teria espaço dentro deste registro – inicialmente pensado como um EP, mas que em decorrência de um momento super prolífico do grupo, acabou se tornando um disco completo. Os arranjos suaves do Bedroom Pop continuam com força, mas Men I Trust parece ter se aproveitado desta extensão de criatividade para trabalhar ainda mais no refinamento do disco. As texturas alcançadas aqui ganham uma aura própria e autêntica, muito por conta do trabalho de mixagem e masterização. É, portanto, um dos trabalhos mais experimentais do grupo – não no sentido de uma ruptura extrema com as formas e arranjos trabalhos até então. A experimentação aqui vem no sentido de não se limitar pelo formato do show, criando assim, um universo próprio e autônomo.

Grande parte do charme deste novo trabalho está diretamente relacionada à escolha dos sons empregados. Men I Trust já tem um histórico renomado de trabalhar com sintetizadores de forma ponderada – ou seja, nem tão experimental que desconsidere as formas do Pop, mas também evitando os clichês dos timbres pré-fabricados. O grupo é pontual nos floreios dos arranjos – não porque eles se encaixam perfeitamente, mas porque tensionam um pouco a composição, mantendo a atenção do ouvinte. Em Untrourable Album este norte criativo é impulsionado pelo aspecto mais experimental. Assim, sons que eram tensos em discos passados, agora se tornam quase assombrados. Aquela psicodelia comedida de Oncle Jazz (2019) cede espaço para uma imersão ainda mais profunda pela lisergia do Pop. O grupo ainda tem como célula primordial de sua música o Bedroom Pop, porém ele acaba se desconstruindo de tal maneira que, em determinados momentos, nos damos conta de que estamos percorrendo os limites da Ambient Music. A possibilidade de pensar para além da prática fez com que Men I Trust conseguisse produzir um disco ainda mais envolvente. Tão envolvente que nos perder por entre as treze faixas é quase uma obrigação na apreciação deste trabalho.

Os primeiros segundos da faixa de abertura, “Organon”, já podem nos dar uma ideia do tipo de terreno onde estamos pisando – etéreo e fantasmagórico. “Sorbitol”, por sua vez, traz uma vaga lembrança das estruturas de discos passados, mas com um toque mais esquisitão nos timbres, alternando entre estados de relaxamento e atenção. “Before Dawn” é embalada por uma batida vagarosa, sem muitas reviravoltas, justamente para não nos tirar de um estado de transe. Da mesma forma, “5am Waltz” toma emprestado referências da música Downtempo dos anos 1990, trazendo um apelo ainda mais nostálgico para o disco e fugindo de qualquer forma de estereótipo. O suingue típico do grupo é marcado por “Lifelong Song” e seus estarrecedores graves e pads mais abertos. Por fim, “Beluga” usa o Jazz como referência, mas à maneira psicodélica e envolvente de Men I Trust.

Untourable Album pode ter sido concebido para funcionar em espaços pequenos como os nossos quartos durante o isolamento. Entretanto, na prática, é um trabalho muito maior do que as intenções. Não ter se limitado por aspectos práticos permitiu ao grupo alcançar um patamar novo, ainda dentro de sua zona de conforto. Um conforto marcado pelas tensões de timbres desconhecidos e que nos impulsiona para uma escuta muito mais ativa, neste sentido. É um trabalho que reflete a ambiguidade dos tempos pandêmicos, ao mesmo tempo que funciona como refúgio extremamente imersivo. Um disco para entrar em transe, mas que não nos deixa esquecer as tensões que nos regem.

(Untourable Album em uma faixa: “5am Waltz”)

 290 total views

ARTISTA: Men I Trust

Autor:

Designer frustrado, julgador de capas de discos e odiador daqueles que põem o feijão antes do arroz.