Resenhas

Pond – Beard, Wives, Denim

O viajante disco da banda mostra o porque eles são considerados um dos expoetes da nova psicodelia australiana

 3,380 total views

Ano: 2012
Selo: Modular
# Faixas: 13
Estilos: Rock Psicodélico, Experimental
Duração: 54:50
Nota: 4.0
Produção: Dave Fridmann

É quase impossível não comparar Pond com Tame Impala, um dos motivos (o mais óbvio) é que ambas dividem dois de seus integrantes. Outro, é que as duas bebem da mesma fonte psicodélica dos anos 60. Como se isso não fosse o suficiente para gerar essas comparações, o responsável pela marca registrada das duas bandas (as guitarras) é a mesma pessoa. Mas as semelhanças param por aí: Pond tem um som bem mais aventureiro e exploratório e usa mais elementos e sonoridades para compor seu som.

Beard, Wives, Denim, o quarto disco da banda, conseguiu unir todas as influências dos seus discos anteriores fazendo uma lisergia roqueira regada a guitarras viajantes e melodias, que apesar da aparente estranheza, são bem amigáveis. Sempre mantendo a mira na Psicodelia, o grupo faz um som que viaja desde o retrô David Crosby ao som mais contemporâneo do Spiritualized.

Fantastic Explosion Of Time se apresenta com uma versão de Kinks depois de uma viagem de ácido com uma vibe sessentista muita forte. A música consegue abrir o álbum muito bem, mostrando o que nós podemos esperar durante os próximos 54 minutos.

Bebendo da Psicodelia, só que agora a setentista, Elegant Design e Moth Wings tem uma guitarra funkeada que lembra bastante algumas canções do Led Zeppelin e os falsetes de Nick Allbrook podem ainda lembrar um pouco os de Robert Plant. You Broke My Cool traz um pouco do Glam Rock que parece se misturar com os primórdios do Rock, voltando aos anos 50.

Em Sun And Sea And You quem ganha destaque é a bateria que se alterna entre o frenético e o sereno culminando em uma caótica batida ao fim da faixa. Dig Brother é uma daquelas músicas que condensam toda uma década ou estilo dentro dela – ela começa em ritmo de baladinha sessentista e traz um pouco dos teclados progressivos. Em sua segunda parte, apresenta um pouco das guitarras emocionantes do Pink Floyd e fecha no clima acelerado Kinks, como um Proto-Hard-Rock.

Mesmo explorando muitos outros elementos, duas músicas acabam soando como B-sides de Innerspeaker: a sonhadora Sorry I Was Under The Sky, com suas vibe viajante e caleidoscópica, e When It Explodes, que traz uma ótima presença das guitarras que constroem uma aura espacial na música, potencializada pelos sintetizadores. Mostrando todo o alcance do disco, Moreno’s Blend o fecha com uma versão semi-acústica e cheia de coros.

O quarto disco dos garotos se mostra um potente apanhado da psicodelia de diversas épocas que se condensam em um só ponto. Beard, Wives, Denim se prova um dos melhores discos da nova Psicodelia australiana e um belo aquecimento para o próximo do Tame Imapala.

 3,381 total views

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts