Resenhas

Real Estate – Atlas

Amadurecido, suave, introspectivo, novo álbum é uma evolução serena do grupo

3,796 total views, no views today

Ano: 2014
Selo: Domino Recording
# Faixas: 10
Estilos: Surf Pop, Indie, Dream Pop
Duração: 38:18
Nota: 3.5
Produção: Tom Schick
Itunes: http://clk.tradedoubler.com/click?p=214843&a=2184158&url=https%3A%2F%2Fitunes.apple.com%2Fbr%2Falbum%2Fatlas%2Fid784925483%3Fuo%3D4%26partnerId%3D2003

Quando me dei o prazer de ouvir pela primeira vez Atlas, o novo álbum da banda de Dream Pop Real Estate, tive a mesma sensação que tenho ao estar dentro de um carro (ou qualquer que seja o meio de locomoção), trafegando próximo das horas do entardecer, com aquela luz azulada que vai ficando progressivamente mais fraca que os próprios fárois dos veículos, deixando um clima proprício para a introspecção. Pensar sobre o dia que passou, sobre os afazeres banais de se estar em casa, sobre compartilhar o jantar com a esposa e, logo, sobre as tarefas cotidianas da vida de adulto parecem ser os temas ideais para se filosofar despretensiosamente nesta etapa do dia.

Como foi boa a minha surpresa ao descobrir que, de fato, Atlas é sobre isso. Em primeiro lugar, é um álbum feito na estrada. Bem, não necessariamente “na estrada” em si, mas é fruto da convivência intensa dos membros da banda após as incansáveis turnês do álbum anterior, Days. Por isso, nada mais justo que o clima do disco reflita justamente a sensação de se estar longe de casa e de se ter muito tempo vago para contemplar o horizonte, pensando sobre os rumos da própria vida. Além disso, a convivência intensa nas apresentações ao vivo das turnês deixou a banda a ponto de bala para concluírem as gravações do álbum (boa parte delas feitas ao vivo no estúdio) em poucas semanas.

Em segundo lugar, é notável o amadurecimento de Real Estate desde sua estreia. Embora seguindo uma linha muito tênue e mantendo-se dentro sempre do mesmo estilo musical e de composição, aos poucos a sonoridade do grupo vai soando mais cristalina, mais segura de si mesma e até mesmo mais profissional. Não há mais tanta preocupação na execução dos instrumentos pois elas ocorrem com uma precisão natural. Até mesmo as letras, que antes contavam dos dilemas passados no fim do colegial (temas que acabaram taxando a banda inúmeras vezes de “nostálgica”) agora transferem seu campo de preocupação para a saudade, para a vida de casado e as responsabilidades da fase adulta.

É muito interessante que Real Estate, a despeito de tantos outros grupos que optam por mudar de sonoridade radicalmente (como esses aqui), tenha se mantido sempre dentro do mesmo estilo, fazendo, em certa medida, a mesma coisa. Tal insistência, de fato, teve seu lado positivo ao assegurar a proficiência do grupo dentro da própria música e, talvez, não seja uma coincidência que tenham optado pelas gravações dentro do estúdio do Wilco, outro grande exemplo desta vertente “conservadora”.

Amadurecido, suave, introspectivo e muito bonito. Atlas mantém Real Estate evoluindo com serenidade e não vai decepcionar os amantes do estilo.

3,797 total views, 1 views today

BOM PARA QUEM OUVE: Beach Fossils, Wild Nothing, Yuck
ARTISTA: Real Estate
MARCADORES: Dream Pop, Indie, Ouça, Surf Pop

Autor:

Discreto e silencioso. Falo pouco, ouço bem, porém.